segunda-feira, 22 de novembro de 2010

O que esta criança fez para merecer tanta sorte?







A cena é interessante. Uma enchente (?), dois adultos, uma criança e um guarda-chuva.

Ser bem cuidado é tudo de bom.

O que faz uma criança merecer tanto privilégio?

A genética humana estimula a proteção dos filhotes.

Mas, não é só isso. As crianças novinhas cativam os adultos por serem absolutamente verdadeiras e NÃO julgarem.


Este é um dos segredos do bem estar que as crianças geram em quem está perto delas.

É como se elas dissessem: "Venha me amar, porque estou pronto para aceitar ser amado".

Este é um dos mais poderosos comportamentos humanos para cativar as pessoas.

Adultos possuem muita dificuldade em serem absolutamente verdadeiros e NÃO julgar.

Perdem muito por isto!

Se você quiser melhorar sua vida comece a ser mais verdadeiro e evite julgar o outro.

Nenhum adulto conseguirá a unanimidade de um bebê. Porém, com o passar dos anos, os relacionamentos são reciclados e tornam-se mais sadios, mais intensos e mais completos.


O segundo segredo dos bebês é se permitirem serem cuidados.

Quanto mais uma criança é cuidada, mais amor ela desperta.

Quanto mais amor ela desperta, mais bem estar ela gera nas pessoas.

Um adulto deve estar preparado para ser ajudado e ajudar. Colaborar, fazer junto, curtir o que vem do outro.


Esta é outra qualidade do bebê: as pessoas se sentem aceitas por eles.

O bebê gosta e se envolve com quem cuida dele.

Recebe bem esta pessoa, não critica e nem entra em conflito. Quer dizer existem conflitos sim, mas são conflitos "bobos". São conflitos sem risco de rompimento, sem agressividade marcante. São conflitos que logo acabam e voltam a calmaria e ao amor.

Este deveria ser o padrão de relacionamento de casais adultos.

Um ter prazer de ajudar o outro. Um tendo alegria com a alegria do outro.

Um incentivando o outro quando há erro, dificuldades e inseguranças.

Um servindo o outro, invertendo papéis e posições.








Reflita:

Quem se esquece de cuidar do que conquistou transforma prazer em sofrimento.

Não dar continuidade nas conquistas é um desperdício.

A vida de quem desperdiça é muito complexa.

Na vida humana, três grandes fontes de sofrimentos e dificuldades são o esquecimento, o desperdício e a ingratidão.

É enorme a quantidade de pessoas que, ao conquistar um objetivo, passa a não prestar mais atenção nele.

Desta forma, casamentos felizes vão morrendo aos poucos, vocações vão sendo deixadas de lado, habilidades desaparecem com o passar dos anos, etc.

Procure valorizar e aproveitar muito tudo o que você conquistou ao longo da vida.

Não permita que o dia-a-dia soterre os “tesouros” de qualidades, habilidades e sabedorias que você conquistou ao longo dos anos.

Regis Mesquita

Leia:
Cinco regras para você aumentar a autoestima e ter muito mais prazer com a sua vida




Reflita 2:

Família em paz – dica 1 - Treine todos para servir.

O amor, com traços egoístas, aos poucos perde a força. Para fortalecer e perpetuar o amor é necessário servir, cuidar e dar atenção. É desta forma que o usufruto multiplica: quanto mais servimos mais amor temos.

Aprenda a cuidar para reforçar sua capacidade de ter satisfação.

Dica de leitura:
Família: cinco dicas para viver em paz




Reflita 3:

QUEM NÃO AMA, ADOECE.

O amor precisa de algo para amar, para cuidar, para amparar.

Pessoas que amam pouco acabam ficando deprimidas, ansiosas ou angustiadas.

Esta dor é o amor pulsando para sair e continuar sua saga de bondade.

Ou seja, o ser humano produz amor dentro de si. E este amor precisa se expressar.

Quem não encontra formas de colocar este amor para fora (e não for psicopata) irá sofrer.

Milhões de pessoas estão tomando remédios para depressão, insônia e falta de prazer porque não conseguem amar na intensidade que precisam.

Seu corpo ressente e sua mente sente a falta de motivação.

A verdade é que o ser humano normal precisa amar.

Filhos sempre foram a principal fonte de inspiração para o amor brotar e ganhar alta intensidade.

Famílias sempre foram grandes oportunidades de amar.

Se questione ainda hoje: para quem mais posso dedicar o meu amor?

Como posso viver mais intensamente o amor que há em mim?

Você produz amor e o amor precisa de algo para ser amado.

O amor é uma força que sustenta a vida. E milhões estão sofrendo por estarem amando pouco.

Regis Mesquita

Reflexão originalmente postada na página Nascer Várias Vezes do Facebook.
Clique aqui para conhecer e curtir.




Curta agora a página Psicologia Racional no Facebook

Clique em "Curtir Página"







Fique atento: receba todos os novos textos do site Psicologia Racional no seu email. Na coluna da direita tem um lugar para digitar seu email (será mandado um email de confirmação, clique no link deste email para efetivar a inscrição). Outra opção é você se tornar seguidor do site. 

É simples! É rápido! É fácil!




Leia também:


Saiba o que o bom exemplo pode fazer pelo seu espírito e pela sua família

A arte de bem viver: jamais desprezar o que é positivo. Identifique os tesouros da sua vida que estão escondidos.

Educando Filhos: dezenas de textos sobre filhos

A melhor forma de conquistar o autocontrole

Ao invés de ampliar seus desejos, amplie sua consciência

Você se esforça para ser vencedor ou perdedor?

Pequenas e constantes inovações para a vida ficar sempre melhor

Livros do autor Regis Mesquita




Os bebês são amados porque não julgam e não condenam ninguém. Valorize quem está ao seu lado.










Licença para reprodução dos textos do site Psicologia Racional, siga as instruções


Nenhum comentário:

Postar um comentário

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...