segunda-feira, 14 de fevereiro de 2011

Meditação ajuda as pessoas que sofrem com dores. Alívio da dor de modo natural.


Use a meditação para diminuir dores no corpo




Amigos do site Psicologia Racional,

A meditação existe há milhares de anos. Ela é praticada por bilhões de pessoas que afirmam viver melhor por causa desta prática.

O depoimento de bilhões de pessoas não é suficiente para a aceitação dos benefícios desta prática. É preciso pesquisa científica. Isto mostra o quanto nossa cultura está viciada nestes procedimentos.


Com bastante atraso, dezenas de pesquisas estão surgindo validando as afirmações dos "leigos". Mas, estas pesquisas não explicam a beleza destas práticas. Se quiser saber mais sugiro que leia e pratique os ensinamentos do Caminho Nobre.

Você pode começar por este texto: Cuidado com a divisão da mente. Método para expandir sua consciência.


Abaixo reproduzo um estudo muito interessante:

Realizar a técnica regularmente proporciona alívio a pessoas com problemas de saúde diversos

Segundo um estudo recém divulgado pela Universidade de Manchester, no Reino Unido, pessoas que praticam meditação com regularidade tendem a suportar melhor a dor, pois seus cérebros são capazes de antecipar a sensação desconfortável a que serão submetidos.

“A meditação está ficando mais popular no tratamento de dores crônicas, como aquela causada pela artrite”, disse Christopher Brown, que conduziu o trabalho, ao site da instituição.

Para muitos profissionais da área de saúde essa pesquisa – publicada pela revista especializada Pain – reforça exatamente aquilo que observam frequentemente em seus consultórios.

“Muitas vezes os pacientes entram em um ciclo vicioso, pois as dores crônicas levam à contração muscular que, por sua vez, piora a percepção dolorosa. Com a meditação esse ciclo é quebrado, pois eles aprendem a olhar aspectos mais positivos em vez de focar a atenção na dor e na doença”...

Pois é, mas a história nem sempre foi assim: até pouco tempo atrás a meditação era vista com muita desconfiança pela classe médica. As coisas só começaram a mudar nos últimos anos, quando ficou claro que a dor tem um componente afetivo e, por isso, tentar tratá-la apenas com analgésicos nem sempre dá certo.

“O preconceito contra a meditação está menor. Até porque, na prática, já se sabe que os doentes que meditam evoluem melhor”...

(Fonte do texto)


Clique Aqui
A ciência oficial está atrasada. Demora muitas décadas para descobrir e aceitar o que está na sua frente.

Este atraso é fruto do profundo preconceito das pessoas que fazem a ciência (e que produzem muita "ciência" manipuladora).

A dor está na mente. A mente pode aumentar ou diminuir esta dor. Portanto, a dor é uma associação entre o estímulo que gera a dor e a forma como a mente reage a este estímulo. Aprender a ter controle sobre a mente é a chave para diminuir a percepção da dor e superar este desafio.

Outros estudos também chegaram à mesma conclusão: os benefícios da meditação para o alívio da dor são reais. A meditação muda a forma como o cérebro processa o estímulo da dor.

"... meditação reduziu a percepção de dor nas pessoas em 57%. Os voluntários também relataram que a dor foi 40% menos intensa.

Os cérebros dos voluntários confirmaram suas percepções de alteração da dor. A atividade caiu no tálamo, uma área profunda do cérebro que retransmite a informação sensorial do corpo para o córtex somatosensorial. O córtex somatosensorial, localizado acima da orelha, é especialista em áreas dedicadas a processamento de sinais a partir de partes específicas do corpo. Nos voluntários que praticaram a meditação, a área do córtex somatosensorial ligada a panturrilha estava “inativa”.

Enquanto isso, áreas associadas com a modulação da dor se tornaram mais ativas. Essas áreas incluíam o córtex orbitofrontal e o córtex cingulado anterior profundo, na região frontal do cérebro. O putâmen, uma estrutura enterrada no centro do cérebro, e a ínsula também mostraram mais atividade. Ambas as estruturas têm muitas funções, incluindo o controle de movimentos de sensibilização e auto-percepção." (Fonte)





A única função da informação acima é te deixar mais confiante ao praticar a meditação. Lembre-se também que existem outras práticas tão boas quanto a meditação; como a yoga, tai chi, mentalizações, entre outras. Pratique aquela que te for mais agradável e tiver "mais a ver com você".

A meditação propicia um relaxamento intenso, que também ajuda na melhora de vários problemas, como o stress. Se este relaxamento intenso vier acompanhado de descobertas pessoais, a melhora se torna muito mais intensa.

Outro exemplo: pessoas que enfrentaram traições e que meditam com seriedade e paciência tendem a superar mais facilmente este trauma. Tendem a amadurecer mais e mais rápido. Terão maior ganho de bem estar e de sabedoria.

Sinta-se incentivado a praticar todas as técnicas de meditação, yoga, etc. Porém, lembre-se que o ideal é que os benefícios destas práticas sejam levadas para o seu cotidiano. Por exemplo: que a paz que você atingir ao meditar seja um incentivo para que você carregue esta paz durante seu dia a dia (mudando sua conduta).

Lembre que a meditação eficiente é aquela que NÃO é encarada como remédio. A meditação realmente eficiente é aquela que é vivida como uma escolha de vida, de valores e de progresso espiritual.

Quem praticar a meditação como "remédio" para algo, provavelmente terá uma grande decepção. A meditação é uma prática na qual (aos poucos) a pessoa vai conquistando bons benefícios. Estes benefícios serão realmente significativos se a pessoa experimentar PROFUNDAMENTE esta vivência. Quem ficar na superficialidade terá poucos benefícios.


As mentalizações e a oração.

Quando alguém reza o terço, se permitindo desligar do racional, terá os mesmos efeitos da meditação.

Outra ótima prática são as mentalizações. (clique aqui para saber mais).





Técnica para ter paz na mente:

(Se você quer praticar a meditação é importante que entenda o conceito de vazio)

Acostume a parar seus pensamentos. A mente funciona compulsivamente quando está em um estado semi-consciente (a condição normal das pessoas): um pensamento desencadeia outro pensamento que desencadeia um terceiro pensamento, e assim por diante. Tudo sem controle, compulsivamente. Um passo muito importante é parar a sequência de pensamentos. No início ficará um vazio ruim, depois você descobrirá que este vazio descansa a mente, diminui ansiedade e angústia, melhora o humor, etc.

Uma das grandes vantagens de parar o pensamento é ter mais tempo para observar a realidade e aprender.

Regis Mesquita

Indico este texto do Caminho Nobre: clique aqui


No livro (altamente recomendado que você leia e estude) "A Espiritualidade no Dia a Dia" existe um capítulo inteiro dedicado ao "Vazio". Capítulo 14 - Aprenda a valorizar os momentos de vazio da própria mente. (Clique aqui)


Regis Mesquita
https://twitter.com/mesquitaregis




Curta agora a página do site Psicologia Racional no Facebook

Clique em "Curtir Página"




Leia também:

Meditação muda estrutura do cérebro. A prática da meditação provoca o aumento da massa cinzenta do cérebro, melhorando a saúde.

Ciência mentirosa e manipuladora - cuidado com as notícias sobre pesquisas científicas

Vários outros textos sobre meditação

Exemplo de como nossas experiências de vida moldam nossos órgãos e nossa genética (epigenética)

A manhã sagrada: reorganize-se para criar um espaço sagrado de disciplina e satisfação

A quietude da mente gera paz e serenidade

Livro: A Espiritualidade no Dia a Dia








Atenção: 

receba todos os novos textos do site Psicologia Racional no seu email. Na coluna da direita tem um lugar para digitar seu email (será mandado um email de confirmação, clique no link deste email para efetivar a inscrição). Outra opção é você se tornar seguidor do site.

É simples! É rápido! É fácil!













Nenhum comentário:

Postar um comentário

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...