domingo, 6 de março de 2011

Meninas que firmam compromisso de virgindade com os pais. Como entender as pessoas que dão muito valor para a virgindade das mulheres?



A virgindade é prova de pureza? A virgindade antes do casamento é importante?




"Esta seria demais até para Sarah Palin (será?). De longos de cetim, maquiagem e o andar desconcertado típico do primeiro salto alto, meninas entre 4 e 20 anos firmam um “compromisso de honra” com seus pais. Sob a doutrina do Purity Ball, elas protagonizam uma noite de pompa, em que homens grisalhos trocam estratégias sobre como manter suas filhas virgens até o casamento. “Vamos celebrar a beleza de nossas filhas e a glória de seus pais”, anunciam os convites das reuniões desse movimento evangélico. Criado por Randy Wilson em 1998, o grupo está em 48 cidades americanas e prega a figura do homem como guardião da pureza feminina. No evento, pais e filhas trocam alianças e assinam documentos. “Pergunte a elas com que tipo de homem gostariam de se casar e vai ouvir: como o meu pai”, comenta orgulhoso o fundador, cercado por suas seis filhas". (Revista Trip)


É impressionante o valor que estas pessoas dão à sexualidade feminina. Observe que pelo texto o compromisso não é de caridade, amor ao próximo, dedicação aos estudos, compromisso de amparar os pais na velhice. Nada disso é central. Respeito e honra está CENTRADO no comportamento sexual feminino.

A virgindade feminina é um símbolo MUITO FORTE de honra. Basta lembrar que os católicos chamam Maria, a mãe de Jesus, de Virgem Maria. Observe que a virgindade é tão importante que precede o nome dela. É tão importante que ela é imaculada: ou seja, nunca foi tocada por um homem. Em outras palavras, não fez sexo com José NEM depois de casada. A ideia é esta: é virgem portanto é pura. Esta suposta pureza é confundida com qualidade espiritual. Como se as esposas que fazem sexo com o marido e GOSTAM de sexo fossem menos, piores, impuras, etc.

Observem estes dois comentários ao texto do site da revista:

D.: "Isso está muito além do sexo, que hoje é banalizado na sociedade. Tem a ver com amor, honra, respeito e zelo entre pais e filhos."

Outro comentário: "Sexo não é "banalizado", é tratado como é de verdade, algo natural e divertido, não pecado ou crime. E fazer sexo NÃO tira a honra, respeito ou amor entre pais e filhos. Eu sei, eu tenho uma linda filha, e ela é excelente, em todos os sentidos, e saudável, em todos os sentidos. ... Pais devem sim proteger os filhos, e educar, e informar, e dar a eles o melhor suporte para uma vida saudável e plena. E isso inclui uma sexualidade sadia e plena, não superstições de povos ancestrais idiotizantes".













A minha opinião é:

virgindade não dignifica ninguém. A mulher não deve ser julgada por ato sexual. A sexualidade, como qualquer outro comportamento que não prejudique outra pessoa, deve ser submetida ao controle e avaliação pessoal. Ou seja, cabe à pessoa escolher e colher as consequências.

Ninguém deve permitir que os instintos ou sentimentos básicos dirijam suas vidas. É preciso que agregue o que é nobre aos comportamentos - caridade, respeito, dedicação, paz, etc. Esta agregação ajuda a gerar equilíbrio e amplia o prazer/satisfação com a vida.

A sexualidade não deve ser castrada. Ela deve ser complementada. Afinal, o sexo é bem melhor se agregar ao prazer qualidades como o respeito, dedicação, ternura, carinho, amizade, e tantas outras qualidades.

Existem as pessoas que tentam castrar a felicidade dos outros. Eu sei disso, pois uma vez uma senhora muito próxima chamou-me a atenção: "você não deve beijar sua esposa perto dos seus filhos". Eu penso diferente. Eu acho que as demonstrações de carinho e de amor transmitem aos filhos a ideia de que podemos ser muito felizes se valorizarmos os nossos parceiros. A senhora que me "alertou" considera negativa a sexualidade que há em um beijo, por isto acredita que deve ser feito escondido e em "lugar próprio".

O lugar do amor se expressar é em todos os lugares, o lugar do carinho e da valorização do parceiro é em todos os momentos.

As crianças um dia crescem. O melhor para elas é ter uma vida repleta de amizade, amor, carinho, dedicação, trabalho, capacidade de sacrifício, pouca vaidade, caridade, respeito aos pobres, aos animais, aos que sofrem, etc. É isto que é realmente relevante. Sexualidade não é relevante.

Cada um tem o direito de decidir. Se a pessoa tiver seu caráter formado com objetivos nobres, se ela tiver treinado sua mente para não ser influenciada por modismo e se tiver bons exemplos para seguir, tenho certeza de que terá escolhas pessoais equilibradas.

Eu acredito nisto: o valor destas meninas da foto não está no uso que farão de suas vaginas. Estarão naquilo que seus corações levarão dentro e naquilo que suas mentes serão treinadas.

Mulheres virgens ou não virgens possuem a mesma dignidade que emanará de seus corações e das qualidades nobres que cultivarem na vida.

Na história da humanidade as pessoas que apontam o dedo julgador para os outros são sempre os primeiros a propagarem a maldade, o ódio e gerar guerras.

Mulheres sempre foram vítimas destas pessoas. Elas confundem a beleza do servir com submissão (veja aqui). Confundem espiritualidade elevada com sexualidade reprimida, como se Maria fosse menos digna ao atingir o orgasmo ao ser penetrada pelo seu marido - o que de fato deve ter acontecido. Fazem tanta confusão... e em um mundo confuso as pessoas são menos felizes e existem mais conflitos.

Mulheres, sua dignidade não está entre suas pernas. Sua dignidade está em sua capacidade de amar, fazer o bem, divulgar a verdade e se fortalecer para ser um grande ser humano.

Os pais que desejam a virgindade das filhas são bons pais. Apenas confusos. Receiam as escolhas de suas filhas. Temem a gravidez precoce, doenças ou que elas saiam de seu controle. A palavras chave é controle e medo da liberdade.

É certo que sexualidade envolve riscos. Mas, o centro da idolatria da virgindade não é a segurança da filha. É o medo de que ela seja autônoma e assim tenha escolhas diferentes da dos pais. Basta ver que estas pessoas escolhem a roupa dos filhos, amizades, e tudo que eles acreditam ser "bom para elas". Confundem o cuidado e a orientação (que são ótimos e necessários) com um conjunto muito grande de regras e etiquetas que as mulheres devem seguir. Todos eles preconizam, por exemplo, a submissão feminina no casamento.

Observe: a mulher quer trabalhar, o homem não quer. Porque ela deve ser uma eterna frustrada? É mais fácil, justo e correto que o homem também faça esforços para que sua esposa possa se realizar como profissional, como mulher, como amiga, como sua amante. Ou seja, um casal feliz é aquele em que cada um luta para que o outro possa se realizar e ser feliz. Lutam juntos, conquistam juntos. Se esforçam, atingem objetivos.

A boa união são dois seres humanos se apoiando mutuamente, um ajudando o outro, um encorajando o outro. Porque os dois sabem que a conquista de cada um contribui para o casal.

Dois seres humanos que se fortalecem na luta do dia-a-dia e constroem um vida em comum. Cada um com sua riqueza interior, tornando mais fácil superar os desafios.

Clique Aqui
Ou seja, o casal realmente feliz é o casal em que cada um tem o prazer e a alegria de ver seu parceiro realizando sua vocação e seus objetivos. Os dois dividem a responsabilidade do lar e a responsabilidade por gerar uma vida social e financeira mais ativa.

Não há submissão. Há respeito pelo outro e alegria com as conquistas que cada um atinge e que enriquece a vida de ambos.

E a mulher livre pode sentir prazer sexual. Este prazer sexual gerará momentos de intimidade, alegria, relaxamento, tornando a vida mais agradável. O sexo é um brincar; brincar de ser feliz, de ter prazer, de sorrir e se entregar.

Estes pais são medrosos e confundem o medo com cuidado.

Na verdade, o mundo possui bilhões de mulheres que transaram com seus namorados e continuaram dignas. São mulheres lutadoras, felizes e satisfeitas. Porque, como disse antes, é o coração e a dedicação aos estudos, ao trabalho e à família que gerará uma grande mulher. O sexo não é tão importante.



Autor: Regis Mesquita

https://twitter.com/mesquitaregis





Agradeço muito se você recomendar esta postagem no G+, curtir no Facebook, retuitar ou mandar o link via email.




Dica: 

Na coluna da esquerda, clicando no marcador "filhos" abrirão dezenas de textos sobre este tema. Escolha o que prefere e boa leitura.












Leia também:









Atenção: 

receba todos os novos textos do site Psicologia Racional no seu email. Na coluna da direita existe um lugar para digitar seu email (será mandado um email de confirmação, clique no link deste email para efetivar a inscrição). Outra opção é você se tornar seguidor do site. 

É simples! É rápido! É fácil!






4 comentários:

  1. É, não se tem mais psicólogos como antigamente.
    Aliás, tudo vai de mal a pior neste mundo sem porteira!
    A sociedade modifica os bons costumes e nem percebe que o mundo está cada vez pior.
    Os valores se invertem e as consequências vem. Porém ninguém para para pensar e ver onde estão os erros.
    Assim como mexemos na natureza e ela se vira contra nós.
    Mexer nos bons costumes de outrora trazem consequências comportamentais, emocionais e espirituais para o homem.
    Um mundo em que a cerveja tem que ser seladinha mas a mulher pode ser rodada, o aborto legalizado seria a solução para que mulheres não morram mais em clínicas particulares, a droga liberada para acabar com o tráfico, enfim, para justificar pecados, acabar com a existência de Deus. Pois se Ele não existe, pra quem prestaremos contas de toda essa droga!

    ResponderExcluir
  2. Prezado anônimo, você confunde costumes humanos com Deus. Os índios, que andam semi-nus, também possuem ótimos costumes. São pessoas dígnas e corretas. Você confunde latinha de cerveja com sexualidade. Conheço muitas mulheres dignas e corretas que casaram sem serem virgens. Mulheres dignas que lutaram, foram honestas, de boa índole, praticaram o bem e caridade. Tenho certeza que Deus ficou satisfeito(a) com estas mulheres que usaram livremente a própria sexualidade. Pense nisto! Não confunda sua cultura e seus valores com os interesses de Deus. Não use em vão o nome DELE.

    ResponderExcluir
  3. Mais um absurdo num mundo já cheio deles. E veja só né, o hímen tem espessura de uns 3 mm e é com isso que nosso valor é comparado, com uma pele frágil. Ou com uma latinha de cerveja com capinha protetora pronta pra ser consumida e jogada fora. Que 'bunito'. O sujeito usa um computador do sec 21 e uma cabeça de mil trocentos e antigamente para fazer sua opinião patente. Mas é isso aí. Não dá pra ficar se impressionando demais com os atrasildos de plantão. O mundo está evoluindo a despeito de opiniões e práticas retrógradas como essas.

    ResponderExcluir
  4. jura que tsm que ser asim

    ResponderExcluir

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...