sexta-feira, 5 de agosto de 2011

Bebida alcoólica na Russia e no Brasil



Regis Mesquita


O presidente Russo Dmitri Medvedev assinou uma lei que restringe a venda de cerveja na Russia. A idéia é: cria-se uma dificuldade para diminuir o consumo. Esta nova lei estabelece para a cerveja os mesmos limites da vodca. (leia a notícia abaixo)

Não acho que este deve ser o caminho do Brasil. Aqui deve-se proibir o INCENTIVO ao uso de bebida alcoólica através de propaganda e marketing (publicidade).

Sabe porque? Porque este mercado é prejudicial a todos nós. O álcool aumenta o número de acidentes, aumenta o número de aposentadorias precoces, traz problemas de saúde, etc.

Sabe quem paga? Você, eu, todos nós.

A divisão fica assim: o bar ganha, o dono da cervejaria ganha, os garotos propagandas ganham, o rádio, tv e jornais ganham fortunas, E VOCÊ PERDE.

É compeltamente maluco uma sociedade permitir propaganda de algo que gera problemas. Já o consumo deve continuar liberado e ser regulamentado de forma mais rígida.

Por exemplo, para ter carteira de motorista as pessoas devem assinar termo de concordância de que devem se submeter ao bafômetro quando forem paradas em blits policiais. Caso se recusem perdem a carta de motoristas para sempre, além de serem obrigadas a todos os finais de semana durante 3 anos a limparem as ruas e avenidas das cidades.

Punição séria para quem se recusar, como o senador Aécio Neves, a se submeter ao teste de teor alcoólico ao serem parados em blits de trânsito.

Proponho até um nome para esta lei: Lei João do Pulo. João do Pulo foi o recordista mundial de salto triplo que teve sua carreira destruída por um sujeito alcoolizado que entrou na contramão e trombou com o carro dele.

Sabe quem pagou o preço do acidente? Foi o Brahma? Foi Zeca Pagodinho? Foi a Globo?

Não. Primeiro foi o João do Pulo e sua família. Depois fomos nós todos, pois eu aposto que a família do idiota que destruiu a vida do João do Pulo ainda foi "presenteada" com uma pensão do INSS.

A realidade da Rússia:

"o Kremlin está preocupado sobretudo com o alcoolismo entre jovens, que vem adquirindo proporções de epidemia. A doença é considerada uma das principais causas da diminuição da população no país. Entre 1991 e 2009, a Rússia perdeu 6,4 milhões de pessoas, e pode perder outros 15 milhões até 2031 se o problema continuar a se agravar, segundo estudos". (Globo) [Ou seja, bebida alcoólica traz sofrimento para as famílias - Devemos permitir publicidade de algo que faz isto?]

Abaixo segue a lei da Rússia:

Nova lei restringe venda de cerveja na Rússia


The New York Times

O crescimento lento mas constante da cerveja como a nova bebida preferida dos russos – substituindo a vodca – sofreu um revés na quarta-feira quando o presidente Dmitri Medvedev assinou uma lei restringindo a venda da bebida ao ar livre e à noite.

Na última década, conforme a renda dos russos cresceu, as fabricantes de cerveja obtiveram lucros notáveis, apesar do aumento dos impostos sobre a bebida.

A nova lei pode prejudicar especialmente o grupo Carlsberg da Dinamarca, a principal vendedora de cerveja na Rússia, com domínio de cerca de 40% do mercado. O grupo vende cervejas como Tuborg, Carlsberg e algumas marcas locais.

Parte do sucesso de vendas se deve à ampla disponibilidade de cerveja na Rússia e à tolerância da polícia para com as pessoas que bebem em parques e no metrô, ao contrário de mercados mais restritos em outros países.

A nova lei, que entrará em vigor em 2013, irá restringir as vendas entre 23h e 8h e segue uma regulamentação similar para a vodca. A lei também proíbe as vendas em quiosques nas calçadas e nas estações de trem. Isso pode ser um problema para as fabricantes de cerveja, já que cerca de 30% das vendas agora vêm destes locais.

Em um sinal da crescente importância do mercado russo para a cerveja, as ações da Carlsberg caíram drasticamente este mês, quando a lei foi aprovada no Parlamento.

Até que as novas regras entrem em vigor, a regulamentação da Rússia continuará a favorecer a cerveja em detrimento da vodca como uma alternativa mais saudável. Combinadas com mudanças no estilo de vida na Rússia, as leis ajudaram o mercado da cerveja.

Os russos ainda bebem mais vodca do que cerveja. Reguladores russos dizem que o consumidor médio bebeu cerca de 12,5 litros de álcool no ano passado, cerca de quatro litros de cerveja e mais de cinco de vodca, de acordo com a Bloomberg News.

“A lei traz um pouco de ordem para a venda da cerveja”, disse Vadim Drobiz, diretor do Centro de Estudos de Mercado de Álcool Federal e Regional, de acordo com a Bloomberg News.

Por Andrew E. Kramer


PS: não basta sonhar com redução de impostos. O principal é reduzir os custos públicos de absurdos como estes.

@mesquitaregis

Leia também: Propagandas que propagam o que te prejudica 

Frente pela Regulação da Publicidade de Alimentos 

Álcool é mais prejudicial do que a heroína ou o crack, diz estudo 

Os 77 anos de Mané Garrincha e o álcool 

A medicalização da vida não para de crescer. Saiba como se defender.


Cerveja não é mais comida, na Rússia:

Durante anos, a cerveja foi considerada um alimento na Rússia, país classificado entre os cinco maiores consumidores de álcool do mundo. Mas, após muito debate, o presidente Dmitry Medvedev aprovou uma lei que considera a cerveja uma bebida alcoólica - proibindo sua venda em bancas de jornais e no metrô, como era comum até então.

Até agora, os russos encaravam a cerveja como um refrigerante, o que possibilitou aos fabricantes da bebida escapar da pesada campanha pela redução do consumo de álcool na Rússia - que é, oficialmente, duas vezes maior do que o recomendado pela Organização Mundial da Saúde. Com a nova lei, a venda de cerveja será realizada apenas à noite, e fica proibida em locais públicos ou mesmo perto de escolas. Além disso, com os impostos aplicados a esse tipo de bebida, o preço da cerveja deve subir". (Globo)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...