sábado, 14 de janeiro de 2012

Qual a maior maldade que você já ficou sabendo? Conheça uma das piores maldades do mundo em todos os tempos



As piores maldades do mundo em todos os tempos





Regis Mesquita



Existem pessoas que possuem profundo prazer em fazer maldades. Afinal, o mal também excita as pessoas e dá noção de poder e separatividade.


Por exemplo, é comum dentro de salas de aula um grupo que se acha "especial" afastar e desqualificar alguns alunos. Chega-se a ameaçar: se você conversar com fulana não é mais nossa amiga. É uma situação que os pais e professores devem ficar muito atentos.

Esta separatividade gera identidade: sou tão bom que não me misturo com o outro. Ou seja, o sofrimento do outro é a confirmação de uma suposta superioridade.

Buscar uma confirmação de superioridade através do sofrimento alheio dá prazer, inicialmente. Depois gera tormento, porque constrói um ambiente mesquinho, de traição, competição destrutiva, etc. O resultado costuma ser ruim.

O melhor exemplo deste processo é a vida do Rei Herodes. O rei cuja história é tão presente na Bíblia. O rei cuja data da morte virou feriado, dia de alegria por ele ter morrido.

Ele ficou paranoico, matou muitos familiares, um deles seu próprio filho alguns dias antes de morrer.

Mas, sua maldade maior foi esta relatada no belo livro "Jesus, Mestre de Nazaré" (Aleksandr Mien): " a sua agonia foi terrível: praguejava sem cessar e, delirando, ameaçava novos massacres. Conta-se que no final da vida mandou matar um grupo de reféns de nobre estirpe para evitar que o povo se alegrasse com a sua morte, e fosse assim obrigado a derramar lágrimas". 

Miséria de vida: querer que alguém chorasse no dia de sua morte, mesmo que seja pela morte de outros.

A morte de alguns não foi o bastante para atingir milhões; e estes milhões aliviaram-se com sua morte. 

A mente do Rei Herodes estava escrava da opinião dos outros, por isto ele considerou a ideia de mandar assassinar pessoas na sua "hora final". Ele se acostumou com o assassinato, para ele era um ato rotineiro. 

Portanto, preste muita atenção em tudo que você acostuma, é aí que pode estar embutida sua maldade. De tão comum, ela se tornou irrelevante para você, mas para os outros pode ter um peso enorme.

Crueldade negativa é a banalização do sofrimento alheio.




Acrescente este site aos seus favoritos
e nos encontre sempre que desejar.








Fuja da maldade cultivando o que é belo, nobre e eficiente





Para refletir:


Muitas pessoas têm prazer em retransmitir maledicências.

A pessoa forte tem disciplina e força para manter-se calado e transmitir somente o que é justo, correto e nobre.

Cada vez que o forte impede uma maldade, ele se fortalece mais.

Cada vez que o fraco retransmite a maledicência, ele fortalece sua necessidade de negatividades e diminui a qualidade de suas vibrações.

O forte que cuida de suas obrigações e auxilia o próximo desenvolve dinamismo, boa vontade e capacidade de resolver positivamente problemas.

Já a pessoa que cuida de si e esquece os outros esvazia sua mente de sentimentos nobres. Mente vazia de altruísmo tem espaço para transformar supérfluos em necessidades e também transformar negatividades em prioridades.

Aquele que cuida com carinho de um animal, idoso, criança ou planta permite que o amor flua através de si e energize seu próprio ser.

Aquele que vive na impaciência e no desprezo, esquecendo-se do carinho e da gentileza, reforça sua impaciência e mantém-se firme na insatisfação.

O que você escolhe é o que é reforçado em seu interior.

Regis Mesquita


Dica de texto: 

Use sua vida para impedir que o negativo e o sofrimento espalhem pelo planeta
http://www.nascervariasvezes.com/2014/06/impedir-negativo-espalhe.html



Texto originalmente escrito para a página Nascer Várias Vezes do Facebook

Conheça, curta e compartilhe as mensagens diárias.




Gostou deste texto?

Recomende esta postagem no G+, compartilhe no Facebook, retuite ou mande o link  deste texto por email.












Pensamentos do Dalai Lama

Quer compartilhar mais imagens como esta acima?




Licença para reprodução dos textos do site Psicologia Racional, siga as instruções.








Um comentário:

  1. Minha maior perversidade vista foi causado por mim mesmo e a mim mesmo, atraves de abusos de alcool, drogas e automutilação.

    ResponderExcluir

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...