sábado, 22 de setembro de 2012

A arte de descobrir, sentir e cultivar os prazeres da vida. Aprenda a perceber e não desperdiçar as boas oportunidades da sua vida.



Cada oportunidade não escolhida é uma estrela que deixa de brilhar. Autoestima




Se existe algo que Deus aprova é o prazer. Por isto, ele nos deu muitas possibilidades de sentir e cultivar os prazeres. Ninguém consegue usufruir desta enormidade de formas de prazeres, alguns prazeres se ajustam a uns e a outros não.

Um dos trabalhos humanos é descobrir quais prazeres cultivar e em que intensidade. A regra é esta: quanto mais equilíbrio, mais oportunidades de sentir prazer.

quarta-feira, 19 de setembro de 2012

O poder da preguiça em aumentar o trabalho e o esforço


Não deverão gerar filhos mulheres que não querem criá-los. Platão



Regis Mesquita



O preguiçoso é um sujeito esforçado, com baixíssima eficiência.

Sua forma de agir multiplica seu trabalho.

Sua baixa eficiência impede que os bons frutos do seu esforço apareçam.

A pouca recompensa pelos seus esforços faz com que ele acredite que não vale a pena se esforçar.

É um ciclo vicioso, no qual o preguiçoso considera que sua preguiça lhe traz vantagens.



quinta-feira, 13 de setembro de 2012

Anjos branquinhos, loirinhos, fofinhos, lindinhos de olhos azuis...






O sujeito acima é a imagem que alguns esotéricos tem de Jesus. Praticamente um Sueco. Uma face aceitável para pessoas de classe média brasileira. 

Bem diferente desta:




Todos nós sabemos como a classe alta e também a classe média brasileira são fortemente identificadas com símbolos de status. Os mais fortes são os símbolos corporais: pele, olhos, cabelos, etc.

A umbanda, por inverter a base da sociedade (os sábios são pretos velhos, caboclos, índios, etc.), sempre foi muito estigmatizada.

As religiões que florescem são as mais apegadas aos símbolos corporais: Maria meiga e bonitinha, e Jesus Gatão.

No meio esotérico florescem anjos, querubins, seres iluminados... cada um mais fofinho e branquinho que o outro.

Dúvida?

Veja estes exemplos tirados do mesmo site:











O uso de símbolos e imagens em religiões é um grande risco. Pois, comumente são instrumentos ideológicos e de distanciamento dos ensinamentos centrais da espiritualidade.

Linguagem rebuscada, imagens ideológicas e megalomania são o suficiente para eu ficar com os "dois pés" distante.

Exemplos de megalomania: "Deus criou o universo, criou o homem e descansou"  (caramba! Como o homem é importante!). "Todo o universo conspira a seu favor" (Maravilha! Sou o máximo!). "O que você pensa acontece" (Além de poderoso, sou mágico!).

A resposta é uma só: mais humildade.

Estas manifestações culturais só mostram como o ser humano pratica MUITO POUCO A HUMILDADE. Passar do discurso à prática exige persistência, reflexão, discernimento, e a luta constante para não permitir que o ego domine a consciência.


Abraço,  Regis Mesquita
@mesquitaregis




Atenção: 

receba todos os novos textos do site Psicologia Racional no seu email. Na coluna da direita existe um lugar para digitar seu email (será mandado um email de confirmação, clique no link deste email para efetivar a inscrição). Outra opção é você se tornar seguidor do site.


É simples! É rápido! É fácil!






Leia também:

A arte de aumentar o próprio sofrimento 

Eu percebo o bem que me fazem 

Focar o presente e a simplicidade para ampliar a satisfação


A ciência descobre a espiritualidade e confirma sua utilidade


Tem certeza de que é você quem controla sua mente? 


A classe social de Jesus




Decida: hoje tratarei bem meus familiares. Mesmo que a raiva e o rancor me levem para a agressividade, irei recuar e me calar.  















quarta-feira, 5 de setembro de 2012

Obesidade: como o imaturo sabota a própria vida. Crenças que enfraquecem sua mente e te levam para o sofrimento.



Gordura é resultado de uma vida errada, não é doença




Por Regis Mesquita



Cena cada vez mais comum:
“Eu vim aqui porque tenho uma doença: obesidade. Para emagrecer preciso de remédio ou de cirurgia”.

A pessoa se vê como vítima de algo “externo”: a doença.  Esta é a ilusão (na imensa maioria das vezes esta doença não existe).

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...