sábado, 17 de junho de 2017

Eles preferem sofrer com o que é conhecido por terem medo do desconhecido



Evoluir é a arte de tornar cada vez mais fácil vencer os desafios da vida. Espiritualidade





“As pessoas têm dificuldade de abandonar seus sofrimentos. Por medo do desconhecido, elas preferem sofrer com o que é familiar”.

Thich Nhat Hanh


Amigos do site Psicologia Racional,

Escolher o que é realmente bom é uma das regras para atingir a felicidade.

Todavia, existe um preço a pagar: entrar no desconhecido.

A vida rica de experiências e qualidades é muito dinâmica.

Por exemplo: uma ótima funcionária recebeu uma proposta para mudar de emprego, ganhar mais e ter novas responsabilidades.

Imediatamente uma onda de insegurança (por causa do desconhecido) entrou em sua mente. Será que consigo? Será que não vou ser demitida e ficar sem nada?

Dezenas de dúvidas invadiram sua mente.

Ainda bem que esta pessoa tinha a ganância para decidir por ela: eu quero mais dinheiro.

Novo emprego, salário maior; ela aceitou o desafio do novo.

O grande problema do ser humano é que nem tudo é dinheiro.

Ou seja, ele está muito melhor preparado para lidar com as dúvidas do dinheiro do que com todo o resto da vida.

Regra um: qualidades e habilidades desenvolvidas tornam a vida mais dinâmica.

Vida dinâmica significa ter que enfrentar o desconhecido inúmeras vezes.






O lado “bom” da mediocridade é que tudo torna-se familiar.

Tudo se repete ao longo do tempo e do espaço.

A colega de trabalho da ótima funcionária, uma funcionária medíocre, ficou vários anos com o mesmo salário, fazendo as mesmas atividades, sem aprender e sem evoluir.

Em compensação, em nenhum momento teve que enfrentar o desconhecido.

Inibir seu próprio desenvolvimento profissional, pessoal ou espiritual é a maneira mais comum das pessoas buscarem o conforto do conhecido.

Ela age para manter-se na mesma situação, porque é conhecida e garante alguns ganhos.

Ela sabe quais são seus sofrimentos e aprendeu a diminuí-los com algumas pequenas soluções.

Está acostumada.

Ela aprendeu qual é sua posição no mundo.

Ela aprendeu a ter pequenas satisfações com suas fantasias.

A pessoa quer atingir metas maiores, mas para atingir seus objetivos tem que superar suas limitações, sair do conhecido e enfrentar o desconhecido.

Ela quer o que é bom, mas escolhe o conhecido.

O conhecido é o que ela faz dela mesma todos os dias.

Ela se esforça muito, mas seu esforço está direcionado para continuar tudo igual.

É o caso do lavrador do nordeste que capina de sol a sol e reza para vir a chuva.

Quando a chuva vem, a água vai embora.

Quando tem água, ela é desperdiçada.

Tudo continua igual.

O sertanejo fica sonhando com a fartura enquanto desperdiça as oportunidades e trabalha duro.

É como a pessoa que sofre dores por causa do excesso de peso e toma remédios.

Sonha ficar sem dor e ter outra vida.

Na hora da ação escolhe o conhecido, escolhe o hábito.

Ela se esforça para manter tudo igual no dia-a-dia, enquanto sua mente está recheada de sonhos e projetos.

Para realizar seus projetos ela tem que desenvolver várias qualidades e habilidades.

Sua vida deixaria a rotina e entraria no desconhecido.

Desconhecido é a descoberta, insegurança, mudanças de crenças, novas oportunidades.

Qualidades geram novas oportunidades em sequência.

Pior do que o medo da mudança é a perspectiva de um positivo gerar outro positivo.

João deixou de ver televisão e passou a gastar seu tempo estudando e participando de um grupo espiritual.

Tudo diferente da sua antiga rotina, isolado na frente da tv.

Com o passar dos meses, ele criou novas amizades e um antigo trauma reapareceu: será que meus novos amigos vão realmente gostar de mim?

Será que vão continuar sendo meus amigos quando me conhecerem melhor?

Será que vão me abandonar ou me ridicularizar?


Dicas, pensamentos e mensagens do site Psicologia Racional

Clique em "Curtir Página"



João sentia que controlava tudo quando ficava isolado na frente da tv, sem ter amigos.

O que é conhecido e medíocre traz segurança porque a pessoa  tem a sensação de controle.

Quando a vida expande e novas oportunidades surgem perde-se esta (falsa) segurança.

Os novos amigos colocaram João frente ao desconhecido, às dúvidas e à insegurança.

João pensou em se boicotar e voltar a cultivar a mediocridade.

Pensou em desistir de desenvolver novas habilidades e qualidades.

Mais precisamente, tentou fugir do seu trauma tornando-se muito pior do que poderia ser.

Tornar-se pior do que poderia ser.

Esta é a escolha de bilhões de pessoas no planeta.

Tudo em nome do conhecido, do controle e da segurança.

Tudo falso; mas o medíocre se recompensa com as fantasias, os desejos e as simulações mentais.

Regra dois: para sair da mediocridade você terá que sofrer.

Clique Aqui
Sofrer na direção certa: a direção que te ajudará a desenvolver as habilidades e qualidades que sua vida precisa.

A outra opção é encontrar com o sofrimento sem aproveitar de novas qualidades, novas oportunidades e novos ganhos.

Basta continuar escolhendo ser pior do que poderia ser.


Dica: um dos conceitos mais importantes que você deve entender para realmente mudar sua vida é o conceito de COMPLETUDE. Entre no Blog Nascer Várias Vezes e pesquise o termo completude – leia os textos que explicam este termo.





Eu agradeço muito se você recomendar esta postagem no G+, curtir no Facebook, retuitar ou mandar o link via email.



Para refletir:

Evoluir é uma arte. É a capacidade de, aos poucos e com vários tropeços, vencer um a um cada desafio que aparecer ao longo de todas as encarnações.

Todavia, não basta vencer. Deve-se vencer usando as armas mais nobres.

Um comerciante honesto pode perder a concorrência do preço para um desonesto. Por isto, o desafio da pessoa honesta é se tornar melhor administrador, gerar novas parcerias, inovar, etc.

Ou seja, a cada qualidade desenvolvida haverá o desafio de novas qualidades para que haja sempre o aprofundamento dos aprendizados e novas conquistas a acalentar a alma de quem procura o Caminho Nobre.

Evoluir é caminhar em direção à completude.

Regis Mesquita
Texto originalmente publicado na página do meu livro Nascer Várias Vezes no Facebook: https://www.facebook.com/nascervariasvezes



Sua plataforma de lançamento para ser cada vez melhor é o que você é hoje. Sucesso.



Leia também:












   
Textos sobre autossabotagem: clique aqui



Para você que está conhecendo o site PSICOLOGIA RACIONAL: este site se propõe a ter textos originais que discutam assuntos do cotidiano. São textos que podem servir para reflexão sobre a vida que cada um leva. Com isto espero contribuir um pouco com você.

Para manter contato sugiro que você coloque este site entre seus favoritos. Na coluna da direita tem um lugar para digitar seu email, para receber as novas postagens do site Psicologia Racional no seu email. Você também pode se tornar seguidor.



Licença para reprodução dos textos do site Psicologia Racional, siga as instruções
.


4 comentários:

  1. Sair de nossa comodidade é complicado, principalmente quando se entra em movimento inercial.
    Ótimo texto para refletir.

    ResponderExcluir
  2. Obrigado por mais um ensinamento Régis!
    Até o próximo texto!
    Abraço!

    ResponderExcluir
  3. Ótimo artigo!!! Parabéns Régis!

    Gostei dessa parte: "A cada qualidade desenvolvida haverá o desafio de novas qualidades para que haja sempre o aprofundamento dos aprendizados e novas conquistas a acalentar a alma de quem procura o Caminho Nobre."

    ResponderExcluir
  4. Visito sempre o blog e, como sempre, textos excelentes. Parabéns, Régis!

    ResponderExcluir

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...