domingo, 25 de janeiro de 2015

É o interesse que move o mundo. Saiba por que isto é bom para todos.



Viva sem medo de oferecer o que você é. Coragem.






O ser humano evoluiu para viver coletivamente. Uns dependem dos outros (interdependência).

O interesse é um dos recursos que ele usa para diferenciar as oportunidades e fazer escolhas.

A cada momento da vida, a cada escolha e decisão, ele é usado.

Porque a palavra interesseiro virou uma acusação, se ter interesse é a condição natural do ser humano?

Lembre-se que o ponto mais alto da vida interesseira é o mutualismo (leia aqui)



Vamos analisar este problema e suas consequências.

Primeiro um exemplo bem simples de entender:

O rapaz começa a namorar com a garota. Sua mãe diz: “cuidado. Ele está cheio de segundas intenções.”

A mãe avisa que o rapaz tem interesse em transar com sua filha.

Isto é um problema?

Não, não é. A sexualidade faz parte da natureza humana. É natural surgir o desejo sexual.

O grande problema é a mentira.

A moça chega para o rapaz e o “acusa” de ter segundas intenções.

O rapaz rejeita a acusação (nega seu interesse sexual - ou seja, mente) e fala dos seus sentimentos.

Veja que loucura: o homem teria que “perder” sua sexualidade para ser “correto”.

Seria muito mais lógico ele responder: meu amor, eu sou homem e tenho um tesão enorme por você. Mas, fica tranquila, que além do tesão tenho amor, carinho, respeito, etc.

Ou seja, a mulher tem que ser objeto sexual, e o homem também.

O interesse sexual torna mais agradável o vínculo, ajudando a reforçá-lo.

Bloquear o interesse é entrar em um mundo de falsidade e complicação.

A moral tradicional busca desnaturalizar o ser humano.

Nesta desnaturalização existe uma inversão de valores: o que é bom, torna-se ruim (o desejo sexual). E as enganações e aparências são aceitas ou desconsideradas (é claro que a namorada sabe e gosta do desejo do namorado).

Desnaturalizar o ser humano é uma forma de enfraquecê-lo e dominá-lo.

Este é um padrão presente em várias áreas da cultura brasileira.


Piscina em casa. Procura-se amizade sincera


Uma postagem do Facebook diz: procura-se pessoa com piscina em casa para uma amizade sincera e duradoura.

É um humor baseado em valores destruidores e desvitalizantes.

As mentes das pessoas julgam esta pessoa NEGATIVAMENTE como interesseira e oportunista.

A graça está neste julgamento.

Será que a pessoa deveria escrever que queria um amigo que morasse ao lado de córrego poluído e contaminado?

Ou teria que ser uma amizade “desinteressada”?

O problema, de novo, é loucura ideológica.

Porque é melhor ser desinteressada?

Isto não existe! Desinteresse não existe! É uma fábula criada para deixar as pessoas culpadas ou distantes.

O natural é que a pessoa tenha interesses, porque isto serve para focar suas decisões e estabelecer metas.

O sujeito vende pão para ter lucro e conseguir manter sua família. Isto é interesse.

Somos movidos a interesses.

A pessoa quer nadar e gostaria de ter algum amigo com quem pudesse compartilhar a piscina.

Nada de mais.

Isto é o natural: buscar o que é bom e agradável.

Esta pessoa pode ter outros interesses complementares: posso oferecer muitas coisas boas para a dona da piscina.

Por exemplo: uma amizade sincera, na qual me esforçarei para tornar a vida desta pessoa melhor e mais agradável.

Ou seja, se cada um compartilhar o que tem de melhor, todos viverão melhor.

Não sinta culpa de ser interesseiro (porque você é).

Se for para sentir culpa, que seja por não ter se esforçado o bastante para oferecer mais (não só coisas materiais, mas também sabedoria, respeito, dedicação, atenção, etc.).

Na prática, quase todas as pessoas possuem muito a oferecer. Basta elas superarem suas preguiças, suas desatenções e falta de dinamismo.






A ideologia tradicional transforma em negativos o que são traços naturais humanos.

Quando as pessoas lutam contra sua natureza acabam por se desgastar, desenergizar e  autoboicotar.

O ideal tradicional nunca é alcançado. Fica um peso na mente das pessoas, uma força negativa que trava seu desenvolvimento.

A saída mais comum é a hipocrisia e a mentira. Criando ilusões, fantasias e maldades as pessoas fingem não ser o que são de verdade.

A namorada (primeiro exemplo), que é um ser humano, tem que bloquear sua sexualidade ou sentirá algum nível de culpa por ter tesão no namorado.

Até mulheres mais “liberais” vivem o complexo de "Belas Adormecidas" (veja este texto).

É muito forte a crença de que mulher digna não combina com sexo.

Acontece que ela sente tesão e sente culpa, o que gera um conflito inútil.

O ideal seria ela pensar: eu tenho tesão. Posso aproveitar esta qualidade para aprender e viver melhor. Posso me aperfeiçoar nas artes da sexualidade para ter muito prazer e dar muito prazer para o outro.

A vida é melhor quando as pessoas aprendem a fazer bem feito e com eficiência.

Fazer bem feito é uma das melhores formas de mostrar respeito e dedicação.

Quando as pessoas fogem para a ilusão, mentira ou maldades, elas abrem mão de se aperfeiçoarem e se contentam com o "mais ou menos".

Ou acabam aceitando conviver com traços agressivos maldosos – perversidades ou desejos que denigrem o outro.


Muitos conflitos internos desgastam as pessoas e, perturbam sua avaliação da realidade. Esta perturbação gera brigas, desavenças, neuroses, fobias, etc. 



A pessoa que assume ter interesse na piscina dos outros é “muito cara de pau”.

Por esta ideologia, se ela fosse dissimulada seria melhor e mais aceita.

Ou seja, a cultura considera que ser direto e honesto é pior.

Este é o problema: ser honesto e direto deveria ser qualidade. Jamais defeito.

Todas as vezes que qualidades são transformadas em defeitos é CONFUSÃO na certa.

O fruto é a mentira, a enganação, a ilusão, desencontros, etc.

O foco do ser humano deve estar em equilibrar seus interesses desenvolvendo qualidades, habilidades e sabedorias.

Se uma pessoa entra com a piscina, quem aparece para nadar pode oferecer muito. O melhor da vida é a troca: fazer junto, rir juntos, reforçar a amizade, gerar bem estar, etc.  [Lembre-se: existem pessoas que não estão dispostas a compartilhar – a dona da piscina tem que saber se proteger.]



A natureza humana não precisa ser negativizada.

Ela tem que ser complementada.

Este é o trabalho evolutivo de todos os seres humanos.

A pessoa chata pode lutar para ficar legal. O preguiçoso pode se tornar dinâmico. O egocêntrico pode aprender a colocar o outro no mesmo nível de importância.

Cada um pode vencer seus desafios internos e, assim, gerar ambientes mais saudáveis, mais equilibrados, com muito tesão, muito interesse, muito respeito, muito carinho, etc.

Se você gastar sua força, tempo e energia bloqueando sua natureza, a batalha será muito mais complicada.

Se você assumir sua natureza e buscar equilibrá-la com muitos sentimentos nobres, muitas qualidades e vontade de servir e ser servido – o caminho será mais fácil.



O interesse sexual masculino e feminino é uma dádiva divina. Se esforce para usufruí-lo em maior intensidade. A sexualidade torna-se mais dinâmica e a vida melhor se forem agregadas outras possibilidades: carinho, dedicação, atenção, companheirismo, etc.

Tudo isto reforça e renova o prazer.

O mesmo se dá em todas as áreas da vida. A agregação de tudo que for nobre gerará mais disposição, mais alegria, mais motivação, mais energia, mais paz.



Tenha sempre em mente que sua natureza é uma boa amiga, para a imensa maioria das pessoas. Mas, ela pode te levar por caminhos ruins se você não tratá-la com respeito e verdade.

Ela está aí para ser refinada e completada. Muitas potencialidades precisam ser desenvolvidas. Muitas qualidades conquistadas.

Tudo isto para tornar a sua vida mais fácil e com mais satisfação.

Um mundo com menos enganação, menos mentiras, menos ilusões depende das pessoas evoluírem e conquistarem muitas qualidades. 

Devem ter tantas qualidades que tornará fácil falar a verdade, porque a verdade será rica de boas experiências.

Se alguém te acusar de ser interesseiro, lembre-se de ficar feliz. Mas, se pergunte sempre: estou retribuindo? Estou colaborando? Estou trazendo algo bom para a vida das pessoas? Porque, se não estiver colaborando estará criando vínculos doentios, neuróticos e sofrimentos para si e para os outros.

Quem realmente curte a vida é quem tem uma vida de trocas intensas que permite que a satisfação chegue de muitas fontes diferentes.


Entenda melhor o conceito de completude:


Regis Mesquita



Curta agora a página do Psicologia Racional no Facebook. 

Clique em "Curtir Página"




A vida é melhor quando as pessoas aprendem a fazer bem feito e com eficiência




Leia também:












Atenção:

receba todos os novos textos do site Psicologia Racional no seu email. Na coluna da direita existe um lugar para digitar seu email (será mandado um email de confirmação, clique no link deste email para efetivar a inscrição). Outra opção é você se tornar seguidor do site.

É simples! É rápido! É fácil!



Dica:

Deseja ler mais textos sobre “Sexualidade”? Na coluna da esquerda, vá até o marcador “Sexualidade”, clique nele que abrirão dezenas de textos. É só escolher o que deseja ler.



Eu agradeço muito se você recomendar esta postagem no G+, curtir no Facebook, retuitar ou mandar o link via email.



Licença para reprodução dos textos do site Psicologia Racional, siga as instruções.




3 comentários:

  1. Uma ótima matéria, gostei muito.
    Obrigada, me tirasse muitas duvidas e me destes preciosos conselhos.
    Tenha uma ótima semana.

    ResponderExcluir
  2. obrigado,li porque estava INTERESSADO no assunto. ou seja,meu interesse me moveu a lê-lo.

    ResponderExcluir

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...