sexta-feira, 10 de junho de 2011

Como se forma um gênio como o escultor Auguste Rodin? A importância da resiliência para formar pessoas vitoriosas.





Em 1840 nasceu um gênio chamado Auguste Rodin? Não, ele não nasceu gênio. Ele se tornou um gênio, nasceu com potencialidades, vocações e plano de vida.

A sua genialidade foi o fruto final de um longo processo de estudos, tentativas, erros, treinamentos, aprimoramentos, fracassos.

Para cada obra bem feita, ele teve pelo menos 400 fracassos.


Olhando pelo lado da proporção, o genial Rodin foi um fracassado.

Se a comparação deixar de acontecer com as obras bem feitas e passar para as obras primas, a situação se complica mais. Para cada obra Genial, para cada "obra prima", ele teve pelo menos mil fracassos (obviamente, estes números são projeções).

Rodin nasceu em uma família pobre, foi rejeitado três vezes ao tentar entrar em escolas de artes. Mas, ele tinha uma arma infalível: ele brincava com a arte.

Em nossa sociedade nós dizemos: "isto não é brincadeira, vamos fazer as coisas com seriedade.

Se seguisse este preceito, Rodin teria sido um bom pedreiro. O correto é dizer: vamos brincar, mas vamos brincar com objetividade e foco no aprendizado.

Foco no aprendizado e objetividade.








Ele também tinha algo muito especial: resiliência. Segundo a Wikipedia: "Resiliência ou resilência é um conceito oriundo da física, que se refere à propriedade de que são dotados alguns materiais, de acumular energia quando exigidos ou submetidos a estresse sem ocorrer ruptura. Após a tensão cessar poderá ou não haver uma deformação residual causada pela histerese do material - como um elástico ou uma vara de salto em altura, que verga-se até um certo limite sem se quebrar e depois retorna à forma original dissipando a energia acumulada e lançando o atleta para o alto".

Em outras palavras: tolerância à frustração, capacidade de "dar a volta por cima", capacidade de manter o foco, capacidade de repetir centenas de vezes.

Rodin desenvolveu habilidades artísticas maravilhosas, graças à resiliência.

Sua genialidade nasceu da capacidade de fracassar milhares de vezes. Fracassar com foco, com método, com objetividade, com tesão em aprender e produzir o belo.

Nenhum de nós será um novo Rodin, Einstein, Simon Bolivar, Nelson Mandela, C. G. Jung, Kropotkin ou Picasso.

Seremos, todavia, fantásticos se soubermos INTENSIFICAR nossas vidas, se brincarmos em criar um novo presente, se aprendermos com foco e método, se tivermos boa vontade. Seremos únicos ao recomeçarmos todos os dias, se formos livres para expressar nossa vocação interna e aproveitarmos tudo o que criamos ao longo de nossa vida.

Tudo isto fica mais fácil se temperarmos a vida com gratidão e boa vontade.




Ninguém nasce gênio. As pessoas nascem com muitas potencialidades, que podem ou não serem desenvolvidas. Para serem bem desenvolvidas é necessário dar intensidade às ações que treinam e transformam potencialidades em algo maravilhoso.

Mas, a parte mais importante é a capacidade de fracassar mil vezes, persistir até que a potencialidade esteja forte para render os bons frutos da eficiência.


Para refletir:

Quem mais te maltrata: você mesmo.

Quem mais te boicota: você mesmo.

Nenhuma outra pessoa será capaz de te judiar da forma como você se judia.

Você tem vergonha de você mesmo.

Tem pouca confiança em si.

Porque tamanha falta de consideração para consigo mesmo?

É chegada a hora de mudar.

Exija eficiência de você, mas saiba dar risada quando não conseguir.

Quem é tratado com carinho e atenção cresce mais e supera mais obstáculos,

Se perdoe por todas as burradas que já deu na vida.

E tenha firme determinação de ser cada dia melhor e mais disposto à ajudar.

Como diz o ditado: "viva leve, porque flutuando você chega mais rápido ao seu objetivo".

Regis Mesquita
http://caminhonobre.com.br/

Dica de mentalização: 
Meu tempo é precioso e eu quero me oferecer o que há de melhor

Entenda o que são as mentalizações:
http://caminhonobre.com.br/2011/07/24/mentalizacao-otima-opcao-para-descansar-a-mente-e-sair-do-negativismo/



Para refletir 2:

Você nasceu para experimentar uma nova realidade.

Experimentar gera experiência.

Sabedoria é muito mais do que você aprendeu com outros.

Sabedoria é a experiência decodificada como conhecimento.

Pessoas sem estudos podem ser sábias, porque experimentaram, treinaram, tentaram e aprenderam.

Pessoas com estudo podem ser sábias, porque experimentaram, treinaram, tentaram e aprenderam.

Você nasceu para experimentar, para fazer você mesmo.

Você nasceu para tentar e ousar, para viver por você mesmo e treinar sua mente para se manter no que é nobre e criativo.

Sua encarnação tem um sentido: viver por si mesmo, caminhar com suas pernas.

Regis Mesquita
http://www.nascervariasvezes.com/

Todos os textos do Blog Nascer Várias Vezes organizados por ordem alfabética.





Autor: Regis Mesquita
https://twitter.com/mesquitaregis




Conheça e curta a página Psicologia Racional no Facebook.





Você também pode gostar:









Resiliência transformou August Rodin em um gênio





Para você que está conhecendo o site PSICOLOGIA RACIONAL: este site se propõe a ter textos originais que discutam assuntos do cotidiano. São textos que podem servir para reflexão sobre a vida que cada um leva.

Para manter contato sugiro que você coloque este site entre seus favoritos. Na coluna da direita tem um lugar para digitar seu email, para receber as novas postagens do site Psicologia Racional no seu email. Você também pode se tornar seguidor.





Licença para reprodução dos textos do site Psicologia Racional, siga as instruções






2 comentários:

  1. August Rodin foi um ser humano relativamente genial. Como escultor foi gênio absoluto. Sua habilidade de transformar a matéria bruta em obras de belas-artes, elevou o engenho escultural a cume celestial, dificilmente atingível em menos de um século.
    Se alguém pedisse a Rodin para confeccionar um poemeto sobre um tema banal, ele o faria de forma muito inferior ao poema de Orlando Tejo, o famoso "Criolo-Doido".
    A inteligência é relativa. Einstein seria chamado de 'burro' se tentasse a literatura para competir com a genialidade poética de Augusto dos Anjos. Augusto seria chamado de 'quadradão' se tentasse contestar a teoria da relatividade.
    Não existe uma escala de gênios. Todos são importantes para o avanço material e intelectual da humanidade.
    Devo registrar nesse espaço que sou um fortíssimo admirador da obra de August Rodin.

    ResponderExcluir
  2. A inteligência é relativa. Einstein que foi considerado um gênio, seria considerado medíocre se tentasse a escultura ou qualquer outra arte. August Rodin seria tido como 'burro', se pretendesse interpretar a lei da gravidade.
    Em relação à construção da sociedade humana, toda inteligência é necessária. Só a multiplicidade da percepção cerebral pode atender à diversidade dos requerimentos da civilização moderna.
    Quem inventou a roda certamente deve ser considerado o maior gênio do planeta... Sem a invenção da lança de arremesso feita de azagaia, os felinos teriam aniquilado as tribos do Sul da África.
    Como se pode concluir, dependendo da aplicação, o portador da inteligência pode ser ou não considerado um gênio.

    ResponderExcluir

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...