quinta-feira, 30 de junho de 2011

O medo de conquistar o que se quer (medo do sucesso)



O caminho mais difícil é aquele que vive na cabeça da pessoa e que nunca é testado. Psicologia





A forma mais radical de viver a vida é dizer sim a ela. Cada vez que você diz sim, abre as "portas" para as "coisas" acontecerem. É o novo que poderá vir, é o diferente que não conhecemos, é o que não temos controle, é o que nos tira da zona de conforto.

O "não" significa o fim de oportunidades. Significa o enraizamento onde a pessoa está e no que ela conhece. O "não" prefere a realidade conhecida, mesmo que ela não seja boa. É a repetição e a diminuição do aprendizado e do amadurecimento.


Quando a vida flui positivamente, ela é inovadora. Em cada situação diferente existem desafios e eles são enfrentados positivamente. Ou seja, ao ter novas experiências, surgem novos desafios que exigem novas habilidades ou o aprofundamento de habilidades anteriores. Desta forma evoluímos, sempre.

Uma vida feliz é uma vida dinâmica. O novo surge, as experiências acontecem. Ir para frente ou tentar ficar aonde está? Aproveitar a oportunidade ou desistir?






A vida da maior parte das pessoas é composta de pequenas desistências (pequenos nãos). São pequenas, porque as pessoas matam as oportunidades assim que elas nascem. Poderiam se tornar grandes oportunidades, mas acabam antes de crescer. Elas morrem porque a pessoa desvia sua atenção, muda de interesse, despreza, nega, fica com preguiça; enfim, ela mata suas oportunidades.

Toda felicidade envolve tensão. Toda felicidade envolve riscos. Exatamente no momento da conquista, esta tensão é maior e a insegurança aparece forte. Nesta hora existe o recuo, a chamada "paz dos perdedores".

A paz dos perdedores é um relaxamento momentâneo, um alívio imediato. Mas, também, a criação da baixa autoestima.

O escritor Paulo Coelho escreveu isto no seu livro Diário de um Mago:

"Poucos aceitam o fardo da própria vitória; a maioria desiste dos sonhos quando eles se tornam possíveis." 

E ele viveu isto, descrito em sua biografia - O Mago:

"O encontro que não houve entre ele (Paulo Coelho) e seu ídolo Jorge Luis Borges.

Com a proximidade dos feriados de fim de ano, Paulo convidou Beth para irem a Buenos Aires, onde pretendia visitar o grande escritor argentino.

Ele vinha adiando a viagem fazia algum tempo, com medo de ir ao Dops pedir visto de saída para o país vizinho e ser preso. Sem nenhum contato ou apresentação prévia, o casal enfrentou 48 horas de ônibus entre o Rio e a capital portenha levando como única indicação um enclereço: rua Maipu, 900, onde vivia Borges. E foi para lá que Paulo se dirigiu logo após se instalar na cidade. O porteiro do prédio, no centro da cidade, informou que Don Jorge Luis estava do outro lado da calçada, tomando café no bar de um velho hotel. Paulo atravessou a rua, entrou pelo lobby e contra a luz de uma vidraça viu a silhueta inconfundível do magistral autor de O Aleph, então com 76 anos de idade, sentado sozinho a uma mesa, sorvendo uma xícara de expresso. A emoção foi tamanha que o brasileiro não teve coragem de se aproximar. Esgueirando-se para fora em silêncio, tal como entrara, deixou o lugar sem dirigir a Borges um bom-dia, um muito prazer, atitude de que se arrependeria para sempre".

(Fonte: livro O Mago - autor Fernando de Morais, pag. 362 )

O corpo e a mente se comportam assim: "E agora? Estou pretes a conseguir o que eu quero. O que fazer? O meu coração disparou, minha tensão está a mil. Eu sei o que acontecerá se não conseguir, mas não sei que rumo vai tomar minha vida se eu conseguir".

Conseguir o que se quer é para quem aprende a lidar bem com o novo e aprende a ACEITAR.

A melhor forma de desenvolver esta habilidade é DIZER SIM, e agradecer (na maior parte das vezes).

Esta postura gera algo fantástico: a capacidade de aproveitar o que a vida oferece.

A maior parte das pessoas treina o não, com isso desperdiça as oportunidades e deixa de treinar o que é realmente importante: a aceitação e a gratidão.

Sobra correr atrás do que se quer. Quando chegam perto de conseguir tendem a voltar para trás ou desviar o rumo. 

Elas matam as oportunidades. O resultado é que sobram as dificuldades (sob a forma de cansaço, falta de tempo, ansiedade, angústia, insatisfação, etc).

Dizer sim (quase sempre), aproveitar as oportunidades, aceitar, gratidão. Se você apostar nestas condutas é muito mais fácil sua vida ter mais eficiência.


Autor: Regis Mesquita



Acompanhe o site Psicologia Racional no 




Leia também:













Atenção:

receba todos os novos textos do site Psicologia Racional no seu email. Na coluna da direita tem um lugar para digitar seu email (será mandado um email de confirmação, clique no link deste email para efetivar a inscrição). Outra opção é você se tornar seguidor do site. 

É simples! É rápido! É fácil!





O medo de se conquistar o que se quer



Para você que está conhecendo o site PSICOLOGIA RACIONAL: este site se propõe a ter textos originais que discutam assuntos do cotidiano. São textos que servem para reflexão sobre a vida que cada um leva.






Licença para reprodução dos textos do site Psicologia Racional, siga as instruções


3 comentários:

  1. Oi, parabéns, muito bom, eu estava navegando pelo google e sem querer descobri seu blog, fiquei curioso/interessado devido ao nome.
    Boa sorte e continue compartilhando sua visão para nós.

    ResponderExcluir

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...