sábado, 28 de outubro de 2017

Força interior e satisfação constante: os maiores presentes dos filhos para os seus pais




Ser pai é deixar os filhos te darem força.






Por Regis Mesquita

É caro ter filhos, dizem uns. Filho dá trabalho, dizem outros. É muita responsabilidade, é estressante... A negatividade segue em frente, desmotivando as pessoas a terem a mais profunda e completa experiência da vida: ser pai.

Tudo na vida tem seu custo, mas tem também sua beleza e sua facilidade.

Vamos entender com exemplo bem simples:

Um dia, para você, quando era bebê, o ato de andar foi muito difícil. Tinha o risco de cair, a falta de controle muscular, várias tentativas fracassadas de se levantar. Mas, você não desistiu. A natureza te deu força interior para persistir. Persistiu tanto que aquilo que era difícil tornou-se fácil. O que era complicado tornou-se simples e até hoje você usufrui do benefício de andar.

Todos os dias, a sua vida é mais fácil e mais satisfeita porque você aprendeu a andar. Você pode não valorizar, mas são estas pequenas satisfações constantes que garantem seu bem estar e sua motivação para seguir em frente. Você foi treinado para não ser grato por andar. Você foi treinado para não contabilizar e nem se maravilhar com os seus ganhos. Você foi treinado para focar sua insatisfação, o que falta e o que te incomoda. Sua perna funciona bem, seus passos são leves, então você esquece. Lembrará quando a dor ou a doença te mostrarem o que tinha e perdeu.

Tira o andar, coloca os filhos. Todos os dias uma força enorme te motiva a seguir em frente. Você vai mais longe; porque pessoas motivadas seguem em frente enquanto outros vão ficando pelo caminho. Algum dia alguém já contabilizou quanto isto vale em termos de dinheiro? Eu sei que vale muito como sabedoria e autocontrole. As múltiplas experiências cotidianas da paternidade torna a pessoa mais capaz de “andar pela vida”. Portanto, ter filhos significa ter facilidades na vida.

Quanto vale viver com mais força interior? Vale mais disciplina, mais perseverança, mais determinação, mais dinheiro. A responsabilidade de criar um filho é também a leveza de fazer algo bom para quem você ama.  O que isto significa? Satisfação. Tem muitas coisas que você pode comprar para ter prazer. Mas, existem outras que entram dentro de você e pulsam de dentro para fora. Filhos são assim. Eles entram, se instalam dentro do seu corpo. Lá de dentro, enchem sua vida de sentido e a tornam mais repleta de experiências profundas.

Esta satisfação que pulsa dentro do corpo do pai traz grandes benefícios. Pais poupam mais, vivem mais, adoecem proporcionalmente menos que aqueles que não têm filhos. Algumas pesquisas identificaram que o senso de responsabilidade é importantíssimo para a longevidade. “Pessoas equilibradas, responsáveis e pouco egoístas vivem mais e envelhecem com mais qualidade.”(1) Pais responsáveis são obrigados a dividir, são obrigados a servir e compartilhar. Bons pais transformam a alegria dos filhos nos melhores pagamentos que podem receber. Ver seus filhos crescerem transforma-se na maior aventura que se pode ter.


  





Cada fase da vida dos filhos muda os desafios. O ganho de experiência e sabedoria pode, assim, ser constante. O maior desafio dos pais, com certeza, é a autonomia dos filhos. Daí vem o ditado: “filho criado, trabalho dobrado”. O sentido da educação é permitir que os filhos ganhem progressivamente mais autonomia. Suas escolhas não serão sempre as mesmas dos pais. Os pais sofrem, ficam inseguros. O grande desafio deste momento é o desapego e a paz interior.

Tenha em mente: o que gera sofrimento para os pais não é o amor. O amor dá força para ver a liberdade do outro. O que gera sofrimento é quando o amor se transforma em dependência emocional e apego.

Por outro lado: o desapego e a paz interior são os grandes catalizadores da satisfação constante. Alguns sábios chamam este momento de “a grande migração”: o desafio dos pais deixarem o controle e observarem em paz o caminhar da vida. Esta transição é muito importante porque filhos são capazes de mobilizar os pais em “suas profundezas emocionais”, tornando-os mais fortes, sábios e equilibrados (quando aprendem as lições).

Construindo o desapego:

“A evolução (da vida) tem sua própria lógica: quem tenta bloqueá-la é “punido” com mais sofrimento. Portanto, evoluir, aprender, amadurecer e desenvolver sabedoria são formas de ter carinho e cuidado por si próprio. Todos estes benefícios ficam mais distantes se há o apego boicotando a transformação / evolução.

Quando alguém evolui, o grande beneficiário é ele mesmo. Outros pessoas também serão beneficiárias da sua evolução, porque a sabedoria ajuda a tornar tudo mais simples e mais tranquilo.

Resumindo: o apego mantém a pessoa presa no passado. Bloqueia ou atrasa a evolução, criando sofrimento.

A dependência emocional cria um vazio. O outro significava muito e agora... (o outro mudou). O tempo continua e todos os momentos são de recomeço.

Algo sempre fica para traz, a fim de que se abra espaço para o novo.

É preciso aceitação para deixar em paz o que não vem junto. E assim, tornar-se leve para enfrentar as novas batalhas. É preciso do desapego para seguir em frente e abrir espaço para as novas conquistas, novos aprendizados, novas sabedorias e muitos sentimentos nobres.

O lugar certo para guardar o que ficou para traz é a gratidão. A gratidão fortalece e motiva. É justo que quem se esforça tenha a paz e a consciência tranquila que a gratidão propicia. Os frutos da evolução espiritual são muitos: gratidão, perdão, sabedoria, etc. Os frutos de bloquear a evolução também são muitos: rancor, dor, sofrimento, etc.” (2)

Concluindo: 

filhos são a maior aventura humana. É embarcar no desconhecido, o que causa insegurança. Mas, a vivência cotidiana transforma o que era complexo em simples. O pai ganha em sabedoria e amadurecimento, transformando-se para melhor.

Mas, os desafios continuam. Cada fase da vida é embarcar em uma nova aventura. Novos desafios, novos aprendizados, mais sabedoria. A força que está vibrando em seu interior te toca para frente e o desapego te auxilia a aprender cada vez mais.

Filhos são a maior influência benéfica para a transformação e fortalecimento dos pais. Mesmo o que é ruim na paternidade é bom. Como tudo na vida, é bom se vier acompanhada do constante aprendizado, do ganho de sabedoria e da capacidade de transformar o difícil em fácil.

Clique Aqui
Falta às pessoas o treino da gratidão. Pois a gratidão ajuda a transformar o passado em força de vida. Falta às pessoas valorizarem a realidade, mesmo em seus maiores desafios. Olhar para a realidade e pensar:
- O que preciso aprender para viver melhor?
- O que posso valorizar e aproveitar mais e não estou dando o devido valor?
- Como posso transformar meu esforço em sensibilidade para viver de forma mais intensa o amor, o carinho e a ternura que meus filhos me propiciam?
- Como posso treinar minha mente para não deixar que as inseguranças, dúvidas e preocupações dominem minha mente?

Ser pai te dará uma força interior extra para realizar este amadurecimento. Esta motivação e esta necessidade devem ser aproveitadas.

Lembre: os sábios vivem as mesmas alegrias e as mesmas dificuldades. Os sábios apenas aproveitam mais as alegrias e superaram mais rapidamente as dificuldades. E quando as dificuldades persistem, eles usam sua paz interior para se proteger.






Autor: Regis Mesquita



Dicas, pensamentos, orientações e novidades do site Psicologia Racional



Nenhum comentário:

Postar um comentário

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...