quarta-feira, 20 de março de 2013

Automutilação: se cortar , se bater, arrancar cabelos, se machucar...








Toda vez que alguém se machuca, sem a intenção consciente de se matar, é considerado automutilação.

Uma das redes sociais mais populares do mundo (Tumblr) anunciou a lista dos assuntos (tags) mais populares. Entre os mais populares estão várias personalidades e assuntos como amor, melhor amiga, frases legais e... cortes.

Entre as 15 tags mais populares duas são relacionadas ao ato de se cortar. Em quinto lugar vem “cortes”. Em décimo quarto lugar, logo atrás de ciúmes, vem “corte” (singular).

Parte das pessoas que buscam este tema estão atrás de cenas extravagantes. Outros, porém, procuram pessoas com quem possam compartilhar seus pensamentos, sentimentos, sonhos e pesadelos. Eles se identificam com o “cutting”.


Cutting cortando o próprio corpo. Automutilação



Normalmente são adolescentes. O motivo é simples: adultos encontram outras formas de se mutilar.  Bebem, drogam, desistem da vida e dos sonhos, etc.

Adolescentes são sempre mais intensos e verdadeiros.  Enquanto o adulto tem sede de se esconder, adolescente tem sede de se mostrar. Alguns acabam se automutilando.

Todavia, este problema vai muito mais além da necessidade do adolescente de atuar, agir, mostrar que existe e tem vida própria (autonomia).

Uma parcela dos casos está associada a outras patologias como depressão, transtorno borderline e várias outras patologias. Razão pela qual deve-se fazer um psicodiagnóstico da pessoa que se machuca.




Existem alguns outros fatores importantes predisponentes. Crianças que ficaram internadas em hospitais, às vezes por muitos dias, podem ter criado uma associação entre dor e prazer. Esta relação tem sido encontrada em vários estudos sobre sado-masoquismo.  Um dos maiores estudiosos do assunto chama-se Robert J. Stoller; ele escreveu livro muito interessante chamado:  Pain and Passion: a psychoanalyst explore the Word of S&M (Ed. Plenum Press). Robert descobriu que muitos dos membros de grupos sado-masoquistas passaram por tratamentos dolorosos na infância. A relação entre dor e alívio, acabou gerando um condicionamento mental forte no qual a dor é a porta para o prazer.

Dor e prazer estão muito mais próximos do que costumamos aceitar. As pessoas pagam para ir no “trem fantasma” para passar medo e levar sustos. O mesmo acontece na “montanha russa”; quanto mais radical, maior é o desafio, maior pode ser o prazer.

A automutilação é também uma forma de vencer um desafio. Muitos começam buscando o desafio, a “liberdade de fazer o que quiser” e acabam gerando um vício; um impulso que não podem mais controlar.

Os motivos pelos quais as pessoas se mutilam são muito diversos. Todavia, nem todos os casos são extremamente preocupantes. Por isto, os pais não podem entrar em desespero quando descobrem estas atitudes em seus filhos. Quase todo adolescente se considera incompreendido e tende a se isolar dos pais, mantendo algumas de suas atitudes e pensamentos escondidos. Faz parte desta fase da vida.

Alguns adolescentes descobrem profundos sofrimentos interiores à medida que atravessam a puberdade. Justamente nesta fase o vínculo com os pais fica um pouco mais distante. Uma das metas da educação deve ser manter aberto estes canais de diálogo e confiança. Para tanto é importantíssimo acostumar a dialogar com seus filhos desde pequenos. A noite é um momento muito bom para isto acontecer.

Este canal de diálogo somente é construído e mantido quando existe um profundo respeito pelo que a criança/adolescente fala. Jamais use contra eles o que eles confessarem. Tenha muita paciência para “trabalhar” as informações que eles trouxerem. Pense e reflita muito antes de agir. A regra é: eduque com leveza, suavidade e bons exemplos. A força tem que ser usada (na educação) somente em momentos esparsos e muito bem planejados.

Um caso: menino pré adolescente arrancava os cílios. Ele dizia que tinha vontade de arrancar e sentia um pouco de prazer. Era sempre à noite que vinha este desejo. Foi explicado para ele a relação entre dor e prazer, e dito que era ruim aumentar esta relação. Foi combinado que sempre que ele tivesse vontade de arrancar os cílios ele buscaria a ajuda dos pais. Nesta hora, os pais o acolheriam sem grandes comentários e “falações”. Ele também treinaria deixar sua mão parada - longe do rosto - nos momentos de tentação, a fim de dificultar o comportamento inconsciente.

Se bater, se machucar, se queimar. Conte sua história
Clique Aqui
Depois de algum tempo os desejos acabaram. Foi  explicado para os pais e para o menino que estes desejos voltariam eventualmente nos próximos ANOS. Precisariam ficar atentos e de vez em quando os pais deveriam lembrar o filho do que havia acontecido. É muito importante manter na memória consciente da criança/adolescente o que aconteceu, para manter a atenção para uma eventual “recaída”. Tudo foi feito com suavidade, leveza  - e, principalmente, permitindo que a criança pudesse falar do assunto e das suas percepções.

Atenção: a maior parte dos pais não sabe ficar calado enquanto a criança/adolescente fala. A ansiedade e a mania de dar palpites em tudo acabam inibindo o filho.

Dica para pais e amigos: a maior parte das automutilações são "realizadas" em áreas que podem ser escondidas. Se é feita nos braços, por exemplo, o automutilador começa a usar camisa de manga comprida ou casaco (mesmo em dias de calor). Preste atenção em alguns comportamentos de evitação. Podem ser a dica de algum sofrimento emocional e/ou processos de autopunição e/ou de autoagressão.


 Dezenas de textos sobre AUTOCONTROLE (acostume a usar os marcadores da coluna da esquerda para pesquisar textos)


 Falar com a família sobre este assunto (automutilação) é muito difícil. Mais difícil ainda é explicar a origem de suas decisões e desejos. As palavras saem difíceis, a mente está confusa, a vida está difícil. Alguns querem agredir os pais, outros querem expressar sua raiva. Tudo é confuso, o diálogo é difícil. Não se deve jamais ficar sozinho, tanto o mutilador, quanto o irmão, namorada, pai, mãe. Como é muito complexo o assunto, parte-se do princípio de que algumas cabeças podem ser mais úteis que uma ou duas.

Ou seja, evite o pânico, evite o isolamento. São poucos os casos extremamente graves. Os tipos de autoagressão contra o próprio corpo variam enormemente. Também são muitas as origens destes comportamentos (daí a importância do psicodiagnóstico feito por um psicólogo devidamente preparado).


Autor: Regis Mesquita
https://twitter.com/mesquitaregis


Eu agradeço muito se você recomendar esta postagem no G+, curtir no Facebook, retuitar ou mandar o link para seus amigos.


Curta agora a página do site Psicologia Racional no Facebook


Clique em "Curtir Página"



Leia também:






PS: agradeço às pessoas que acompanham o site Psicologia Racional, seja recebendo as mensagens via email, sendo seguidoras ou visitando-o de vez em quando. De “boca em boca” os números estão aumentando. Sua participação na divulgação do site é fundamental. Obrigado!





COMENTE: coloque nos comentários sua experiência com este problema. Será muito útil para outras pessoas. Lembre: comente sempre como anônimo.



Licença para reprodução dos textos do site Psicologia Racional, siga as instruções




65 comentários:

  1. existe algum tipo de leitura (cartilha) que o adolescente pode tomar consciência do seu problema e tentar controlar os seus impulsos?Passo por isso e estou tendo muita tristeza e preocupação com minha filha, como devo agir visando melhorar minhas atitudes para ajuda-la a sair deste sofrimento?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não conheço nenhuma cartilha. Na internet encontrará farto material. Leia-os antes de indicá-lo para sua filha.

      Se quiser expor com mais detalhes seu problema aqui no blog, poderá ajudar outras pessoas. E, talvez, possa te orientar.

      Na aba da esquerda, pesquise em adolescentes que abrirá muitos textos para você.

      Excluir
  2. FIQUEI ARRAZADA QUANDO MINHA FILHA ESTÁ SE MACHUCANDO ENTREI EM DESESPERO CHOREI COMO UMA LOUCA PELAS RUAS E CONVERSAVA COMIGO MESMA MEU DEUS ONDE FOI QUE ERREI MINHA FILHA TEM 16 ANOS MUITO COMPLICADA JA TEVE DISTURBIO ALIMENTAR QUASE QUE PERDI HOJE DEPOIS DE UM ANO E MEIO ENGORDOU TUDO QUE PERDEU NAO SEI MAS O QUE FAZER RESPIRO FUNDO PR NAO PERDER A CABEÇA MAS É MUITO DIFICIL O QUE DEVO FAZER?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi aqui quem fala é o Bruno Tenho 18 anos , Sofro Depressão e bulimia , Bom nao sei muito como ajudar , mais as vezes nem mesmo ela tem o controle sobre isso , isso muita vez é consequência de alguma palavra ou ate atitude que aconteceu, Isso nao é algo que Com conversa ira mudar, mais perguntar muita vez pode ser bom, e muitas vezes fazer muitas perguntas pode ser ruim , Pois as vez pode ser que nem ela mesmo sabe direito o que faz, Pode ser falta de pessoa , de alguém que ja partiu ou alguém que ela amava ou ama que a deixou , bom nao sei como conversar sobre isso, pois Como sua filha, eu também Me corto , Tenho algumas crises , E isso pode vim acontecer a qualquer momento, e Se ela ver que vc esta ficando mal por culpa disso, o ela pode ir se sentindo pior e pior e pode a levar a fazer coisas que nao tem explicação se manter do lado dela é o maximo que pode ser feito , conversar sem criticar e escutar o que ela tem a disser , sem criticar e conversar sobre o que é melhor e dar liberdade de se espresar , pois assim ela nao ira ter medo de conversar e conversando pode fazer ela se sentir mais bem ,as vez um simples abraço muda uma vida uma simples palavra deixada de ser dita pode mudar a vida de uma pessoa , bom Nao sei como ajudar Mais Espero que Sua filha Tenha forças , Isso vai passar pode demorar Mais isso vai passar , esse pode ser o Grito de socorro De sua filha entao nao a iguinore e nao fique brava e nem chingue ela mais procura entender o porque disso muitas vez pode ser por coisas tolas , mais isso é um caminho sem volta quando se entra e ja nao tem mais forças para continuar , eu ainda estou Vivo Mais ate quando , Mais eu sei que em quanto eu estiver aqui Irei fazer algo para mudar Isso , Criticar sem saber o que se passa com a pessoa nao o faz se sentir melhor e sim cada vez pior

      Excluir
    2. Oi Bruno! Espero que você esteja bem agora e tenha se recuperado. Você merece tudo de bom na sua vida e a prova disso é você ter se disposto a compartilhar de sua experiência tão rica, íntima e sofrida, com aquela mãe desesperada e infeliz. Deus te ama e eu te admiro muito! Seja feliz!

      Excluir
    3. Oi.. me chamo Djuli, tenho 18 anos, então, não sei muito como te ajudar a não ser compartilhando minha experiência. ... eu comecei a me automultilar com 12 anos, no começo eram arranhões, que ficavam ardendo em baixo da blusa e me ajudava a sorrir, sim é extremamente difícil explicas como isso ajuda... mas pode ter certeza que não irá ficar só nisso se você não lutar junto com ela para que ela supere isso, de arranhões passaram a ser cortes fundos, de repente eu não conseguia mais dormir, roubei diazepam de uma familiar para conseguir dormir... eu realmente não tinha com quem falar sobre isso, minha mãe achava que pacicologas e psiquiatrias iriam resolver tudo.. mas o que eu queria na verdade não era conversar com um estranho, eu precisava de alguém que me amasse e se importasse, alguém que demonstrasse muito isso, infelizmente minha mãe não soube lidar com isso, ela não ia atras de mim quando eu me trancava no quarto, ela não me ajudou quando eu simplesmente não saia do quarto, não ia bem na escola, não tinha amigos, não vivia mais ... é como um corpo sem alma... você não se sente mais vivo.. não sente mais vontade de nada ... então, o meu conselho, o que eu gostaria que minha mãe tivesse feito por mim, sei que o amor que sente por ela é enorme, mas você precisa demonstrar isso, não deixe ela esquecer que você vai estar ali para tudo, va atrás não deixe ela se machucar, você ama ela , demonstre, pfvr não leve ela em nenhum ''profissional'' seja você a pessoa que vai ajudar ela, seja delicada amorosa, entenda a tristeza dela, entenda que é um momento difícil e que ela não controla os pensamentos. .eles simplismente vem ... Boa sorte .. espero ter ajudado em algo ..

      Excluir
    4. Hj estou passando isso com minha filha de apenas 14 anos juro como e difícil lida com essa situação ja ea 2 cez q ela fez isso é o motivo eu não sei pq somos pais amorosos atenciosos q sempre conversamos e hj não sei pq estou em pânico.
      Q Deus ajude mh familia

      Excluir
  3. Descobri á dois dias que minha filha por três vezes se aufomotilou. Fiquei desesperada ,fui correndo. Na USF onde trabalho meu deus tó desesperada e ela náo prometeu que vai parar,já peguei encaminhamento para o capa infantil eu só choro,pois ela posta foto quase só de pessoas que fazem isto,nossa tó sofrendo muito.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Lembre-se: mantenha a calma. Quanto mais drama, menos se consegue que a pessoa se abra. Uma grande parcela deste comportamento acontece por dificuldades emocionais. Geralmente, nem a pessoa consegue entender.

      Excluir
  4. Tenho 22 anos, sou mulher, estou com depressão, moro longe dos meus familiares.
    Sofri abuso sexual dentro da minha propria casa por mais de 6 anos, e agora tudo está caindo como uma bomba em mim.
    Ultimamente senti uma vontade enorme de me machucar, sinto culpa, medo... me sinto sozinha. Parece que todos que tentavam me ajudar se cansaram e agora tenho que correr tudo sozinha.
    Estou passando a usar roupas de mangas longas para esconder as marcas no braço, difícil mesmo é esconder as marcas das mãos após socar a parede repetidamente deixando coágulos de sangue nos dedos.

    O único conselho que posso dar as pessoas próximas é que: Deem atenção! Fingir que não esta vendo ou tentar desviar o foco da pessoa só piora tudo.
    A pessoa já se sente um lixo, se você ignorar vai deixar ela mais pra baixo.
    Pelo menos isso é o que eu sinto :(

    Não confundam com infantilidade ou estupidez, só quem passa sabe como é, algo incontrolável, e de uma certa maneira necessário.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado pelas suas palavras. Com certeza será útil para muitas pessoas.

      Excluir
    2. Me sinto um lixo...preciso conversa com pessoas que me entenda e não critique...

      Excluir
  5. Oi meu nome e Brenda, muitas pessoas me perguntam porque eu me corto, Então um dia eu ja tava cansada de ouvir essa pergunta, Ate que falei isso: Ta voce quer saber porque eu me corto entao vou te falar, eu me corto porque eu gosto de me ver sangrar, eu sinto prazer nisso, eu nao ligo se ta machucando eu so fasso e pronto, motivos sempre tem, mas sao mtos q eu nem sei mais quais sao, eu sei que to magoando pessoas e nesse sentido eu fico triste mas nao da pra parar.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Brenda, você descreveu a compulsão. Força! O que você vive tem solução.

      Excluir
  6. oi tenho uma amiga que faz isso odeio quando ela se corta mais nunca a julguei ja pensei em fazer isso comigo por ela nao sou uma pessoa de ficar com depresao sem motivos e nunca me cortaria por besteira mais por ela sim pq ela entenderia que se eu a fazo sofre me cortando ela tbem me faz sofre se cortando nossa eu amo ela tanto mais nao queria que isso tivesse aconteido com ela to lendo muito esses dias sobre o assunto achei bem interesante e essas historias que to vendo agora sao horriveis ela nunca me disse o motivo mais eu tbem nao quero mais saber vou a respeita

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Busque outros caminhos. Você tem escolha, então busque algo bom. Se não se sentir merecedora de algo bom, tenha um comportamento bom para com outras pessoas.

      Excluir
  7. Oi eu também passo por isso tenho uma filha de 12 anos que se auto mutilava hoje meu sobrinho de 18 anos ainda o faz.
    O que aconselho é que busquem ajuda profissional e que sejam amigos e os compreendam sem pedir muitas explicações confesso que ainda sofro pois sei que minha filha pode voltar a qualquer momento a tal prática o que faço é deixar um canal de comunicação aberto para o possível pedido de socorro, é uma luta árdua mas possível de ser vencida.

    ResponderExcluir
  8. Oi, meu namorado se cortou pela terceira vez eu me sinto culpada e não sei o que fazer pra ele parar, eu quero ajuda de alguma forma tenho medo de isso se agravar mais, por favor se alguém puder me aconselhar....

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Primeiro: não se sinta culpada. Isto só gera mais confusão. Segundo: esteja junto e busque construir algo bom.
      Não é fácil. Mas, é necessário.
      Terceiro: os pais e familiares devem estar juntos nesta luta. Não fique sozinha. Converse com ele sobre como colocar os familiares a par da situação (se ainda não souberem).

      Excluir
  9. Eu passei por isso dias atrás e ainda nem estou acreditando que meu filho de 16 anos se cortou no braço e disse que caiu na escola , logo vi q não era tombo
    > Eu conversei com ele ele disse que mais ou menos era querer liberdade
    .Realmente ele eé muito sozinho , não tem amigos e fica muito no celular , mas o que vou fazer , ele não quer sair de casa e não gosta de ninguém , reclama de tudo
    e de todos e é muito sinistro , não sei resolver isso !!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Prezada,
      não fique sozinha. Procure na sua cidade ajuda especializada ou outras pessoas que passaram por este problema.
      O conjunto de dificuldades que descreve do seu filho exigem cuidados urgentes.
      Se sua impressão é que é muito sinistro é porque não dá para deixar para depois.
      Não foque apenas apenas no corte. Foque tb no isolamento e na dificuldade de sentir satisfação.

      Excluir
    2. Prezada,
      não fique sozinha. Procure na sua cidade ajuda especializada ou outras pessoas que passaram por este problema.
      O conjunto de dificuldades que descreve do seu filho exigem cuidados urgentes.
      Se sua impressão é que é muito sinistro é porque não dá para deixar para depois.
      Não foque apenas apenas no corte. Foque tb no isolamento e na dificuldade de sentir satisfação.

      Excluir
  10. Acho que conhecer novas pessoas, e ter novas amizades também ajuda, tenho uma amiga que antrs de me conhecer tinha recaídas e depois que me conheceu nao teve mais... Mais com um tempo voltou a ter eu pesquisei mais sobre o assunto e consegui ajudar.

    ResponderExcluir
  11. oLÁ, SOU lUCIANA , TENHO 44 ANOS E NÃO ACHO Q EU TENHA SAÍDA MAIS. DESDE OS 5 ANOS DE IDADE QUANDO EU FAZIA ALGO ERRADO, EU ME BATIA DE CINTA.. E ME SENTIA CULPADA.. O TEMPO PASSOU E TIVE PANICO... O TEMPO PASSOU E CADA VEZ Q EU ACHO Q ERREI, EU ME BATO MUITO... TENHO UMA FILHA ESPECIAL Q EU CUIDO COM MUITO AMOR , MAS ELA JA SABE Q SOU ASSIM E TENHO VERGONHA DISSO. COMO A GENTE NAO SANGRA, NINGUEM SABE O Q SENTIMOS, E TOMO REMEDIOS PRA TRANSTORNO BIPOLAR, DEPRESSAO, MAS EU JURO QUE FARIA TUDO PRA NAO VIVER MAIS ISSO.. PQ SINTO MUITA VONTADE DE ME SUICIDAR, MESMO AMANDO A VIDA ...ME TRATO HÁ 8 ANOS. QUANDO DESCOBRI Q FUI TRAÍDA, EU ME MORDI E ME MACHUQUEI MUITO. SOU ARTE FINALISTA, SOU CRIATIVA E MUITO COMUNICATIVA.. NINGUEM ACREDITA Q PASSO POR ISS JÁ Q TENHO UM LINDO SORRISO NO ROSTO... MAS EU TO MORRENDO POR DENTRO.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Heloiza, seu desafio é não se odiar. Tanto o pânico quanto a autoagressão são sintomas de agressividade direcionada para você mesma. Pense nisto!
      E obrigado pelo seu depoimento. E parabéns pelo amor que tem pela sua filha.

      Excluir
  12. Tenho 24 anos.. nao sou mais adolescente mas me corto sempre quando me sinto magoado.. com muita raiva., quando me sinto carente porem desprezado.. dai me cortar alivia.. fui diagnosticado com depressao aos 18 anos mas me cortei pela primeira vez numa situacao de muito stress emocional com 22 anos ja..

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Automutilação não tem idade para começar. A maior parte começa na pré-adolescência, outros mais tarde. Ou antes.
      Danilo, a vantagem de ser adulto é pensar estratégias que te protejam de você mesmo.

      Excluir
  13. Oi tenho 20 anos e ando tendo esse problema de ta me machucando, Eu não me corto mais me bato puxo cabelo e ontem sem querer eu fiz um furo na cabeça com um pente me batendo e sangrou e fiquei com medo a cada dia isso piora e eu queria saber se á tratamento ou o que devo fazer pra não fazer mais isso eu não quero mais me machucar mais sempre que pé estresso ou fico com raiva ou me bato e puxo meu cabelo e passo horas chorando, por favor me ajudem

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Renata, o primeiro passo é conversar com sua família. ANTES de começar as crises fique junto deles. Vocês devem conversar sobre te conterem se perder o controle. Lembre de explicar para ele que eles devem agir com paz e calma. É difícil para os pais e irmãos ter paz nesta hora, porém devem tentar manter a calma - falando baixo, etc.

      Excluir
  14. boa noite eu tenho uma amiga que está passando por um momento difícil pois a filha de 14 anos está se auto mutilando, e a situação só está se complicando, ela me pede ajuda, oro por ela mas ja nem sei mais o que fazer para ajuda-la, gostaria de obter uma informação sobre o caso !

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Higor, continue orando. Você pode ajudar trazendo paz e amizade para esta sua amiga. Este tipo de ajuda é muito importante. Não pense que é pouco. Familiares que possuem um amigo que nem você, possuem mais equilíbrio para enfrentar este problema. Parabéns, continue sendo sempre este grande amigo. E não sinta culpa se o problema demorar para se resolver.

      Excluir
  15. Eu já me cortei algumas vezes não entendo o por que pois eu não tenho nenhum problema pessoasl que me leve a fazer isso só que isso me faz me sentir melhor, mas agora tento não me cortar mais pois meus pais ficaram muito triste com isso, mas mesmos assim quando eu estou com raiva de algo me volta a vontade e eu me Machuco de alguma outra forma.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Também faço isso quando sinto muito raiva.. minha vontade é de esmurrar a parede até quebrar minha mão. Vai entender..a lógica seria esmurrar os outros.:/ .. Quando sinto raiva passo mal, e sinto vontade de me cortar...tenho prazer em ver minha pele cortada e sangrando..Acho q estou enlouquecendo

      Excluir
  16. Boa tarde eu tenho 24 anos tenho uma filha de 3 anos tenho um relacionamento de 10 anos. Essa semana me irritei quando meu marido brigou comigo por que paguei uma conta que não era a que ele tinha me pedido sendo que ele mesmo me deu a conta errada e eu não prestei atenção do mesmo jeito que ele me deu eu entreguei a atendente. No mesmo dia brigou por causa do vestido que estava vestindo eu achando que a outra briga já tinha se resolvido foi quando ele me disse que eu já não o ajudo financeiramente e ainda o atrapalho. DOI quando surte porque achava que eu não precisava passar por essa situação com isso tudo fique em fúria e me auto-agredi no rosto com vários socos. Não sei o que esta me machucando mais se é o meu rosto que esta ainda rocho ou mes sentimentos que ao me olhar no espelho vejo a que ponto cheguei.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Amiga, tenha seu "ganha pão". Tenha este desafio. Isto te trará melhor autoestima.
      Quando a pessoa que se judia sente que venceu um desafio, ela fica mais satisfeita consigo mesma. Mais satisfeita consigo é um bom começo para melhorar a autoestima.

      Excluir
  17. Passei por muitas dificuldades na infância, estupros,falta de respeito da minha mãe, cenas de sexo diariamente e vivia sozinha desde os 5 anos.Minha mãe saia pra trabalhar e me deixava sozinha,variava noite ou dia.
    Quando fiquei adolescente tentava conversar com a minha mãe sobre o meu padrasto q me violentava e ela não me ouvia.
    Comecei a me cortar ,me bater e arrancava meus cabelos e como consequência meu cabelo não cresce mais normalmente, tenho falhas gigantes na cabeça.
    Hoje casada e com filhos senti vontade de me machucar novamente ,tive discussões com meu marido e fui tentar conversar com a minha mãe ,só que ela me botou pra baixo e falou que eu mereço ter um casamento fracassado.
    É uma sensação de dor muito forte a ponto de única coisa a aliviar a dor é a dor.
    É muito difícil já fiz tratamentos mas mesmo assim não consegui deixar de me machucar.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Amiga, a maior parte das pessoas possuem mães boas ou razoáveis. Parece que a sua está despreparada para te ajudar. Com certeza você não merece sofrer.
      Você deve se fortalecer para enfrentar as frustrações.
      Tenha outras pessoas para dialogar, pessoas sensatas e sábias. Não se isole.
      Procure um psicólogo para te ajudar com seus traumas.

      Excluir
  18. Olá . Até agora acho que desaparecer desse mundo seria uma boa ideia. Porque já estou farta mesmo. Uns não entendem o porquê das coisas que faço . Eu Me Cortava. Tui ao psicólogo e parei. Meus familiares acham que estou bem. Mas não , eu finjo estar. Umas semanas atrás estava com uma vontade enorme de me cortar, mas eu não tinha uma lâmina por perto. A solução foi me cortar com uma faca. Depois de uns dias fui comprar lâminas . E voltei a fazer alguns cortes no pulso. E agora quando tomo banho gosto de me bater, as vezes dou tapas na minha mão como castigo de ser " Eu mesma " . Uns dias atrás minha mãe disse para mim : Para de arrancar o cabelo! " E eu nem tinha me apercebido de que andava arrancando . Não sei de onde veio essa mania de arrancar as pontas do meu cabelo. -.-' Mas tornou se um vício . E sempre que a minha mão fica arrancando as pontas do meu cabelo, eu tenho que ir para o meu quarto, porque a minha mãe já se apercebeu disso. Mas como sou orgulhosa.. prefiro guardar só para mim essa auto mutilação . ����

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fuja do isolamento. O autocontrole é mais fácil no começo da compulsão. Por isto, não demore para conversar com seus familiares.
      O que você mostra é que parte do problema da automutilação é o costume. A pessoa fica acostumada e aquilo passa a fazer parte da vida dela. Este é o começo. Tem que parar aí.

      Excluir
  19. Esses dias eu descobri que meu filho morde a si mesmo até sangrar, porque ele diz gostar de sentir o gosto da própria carne. Então eu fui ver os seus ombros e eles estão cheios de buracos abertos, com pele pendurada. Além disso ele se bate até ficar roxo e tem cortes profundos nos braços. Estou tentando lidar com essa situação da melhor forma possível, já que ele sempre foi um garoto muito inteligente e gentil. Ninguém esperava isso dele. Não sei mais o que fazer.

    ResponderExcluir
  20. Eu tenho 26 anos, um filho de 2 anos, tenho surtos de raiva onde me bato e puxo meus cabelos isso tudo faz passar minha raiva e me sinto melhor. Nao sei como contar para minha familia, não sei o que fazer.

    ResponderExcluir
  21. Olá tenho treze anos Fasso isso des dos dez dês de que eu comessei a fazer quando algumas pessoas diziam para mim que quem fazia isso merecia morrer também diziam que eu era uma pessoa indiota e aviadada e isso só feis piorar cada vez mais depois de um ano minha mãe ficou sabendo e a partir daquele momento ela vem dizendo que as minhas atitudes São o maior desgosto da vida dela e sempre que ela vê me bate e diz que sou o diabo que não presto etc. Ela fala que meus motivos não são nada na frente dos dela. A algum tempo atrás toda a escola ficou sabendo poucas pessoas me ajudaram😢😭por favor vc pode me ajudar?

    ResponderExcluir
  22. onde eu posso encontrar o tratamento de automutilação no Pará

    ResponderExcluir
  23. Texto muito bem escrito! Parabéns! Um tema polêmico mas tratado com maestria. Me ajudou muito!

    ResponderExcluir
  24. Olá bom tarde !minha filha tem 7 anos e já peguei varias vezes ela cortado cabelo, estou muito preocupada!

    ResponderExcluir
  25. Oi, meu nome é Laís, também me corto, com lâminas de barbea, tenho apenas 12 anos e o motivo por me cortar São:me sinto gorda, as pessoas da minha escola me odeiam, sofro calada, meus pais não estão muito presente, não tenho amigos, ninguém gosta de mi, entre outros motivos, socorro!!! Eu não consigo mais parar

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. oi ,eu vou fzr 15 anos e ja passei por situaçoes assim e a minha maior força fui eu msm . Mesmo q ninguem se pareça preocupar c a gente temos de agradar a nos proprios e a mais ninguem . A melhor coisa da vida é gostarmos de nos e aceitar aquilo que somos n importa se vc é mais gordinha ou uma menina magrinha , aquilo q conta sao seus valores enquanto pessoa , se vc souber q esta fazendo td bem e se sua consciencia estiver tranquila mande os outros a merda . Ninguem merece ver nos a cair , vc é tao novinha ainda para se sentir desse jeito . Luta e acredita em ti , um dia vais poder contar as pessoas como foste forte em vencer esses problemas !!! coragem , n estas sozinha , a vida é aquilo q fazemos dela

      Excluir
  26. meu filho adolescente é muito agressivo na escola em casa com o irmão fala q vai se matar e se alguém briga com ele ele fala q vai matar oq fazer socorro

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Liamara ,você deve buscar ajuda com um médico neurologista ou psiquiatra,para que um destes profissionais possa receitar uma medicação,é preciso rever isso com ajuda de um médico especializado. Boa sorte e coragem!

      Excluir
  27. help, gosto de me machucar amo ver sangue escorrer pelo meus braços , algumas pessoas já falaram pra mim parar e falam pra eu prometer.... e acabo quebrando a promessa pf... eu não quero ter vontade de sentir dor , não quero me machucar , não quero pensar em morte...

    ResponderExcluir
  28. Meu filho tem 21 anos e tem síndrome de asperger-leve,e lembro que as primeiras vezes que ele se auto-mutilou eu não acreditei que fosse ele,cheguei a culpar pessoas que estiveram com ele ou estavam com ele,pois ele fazia arranhões nas pernas,braços e no rosto e nunca ninguém conseguia ver na hora que ele estava a fazer . . . Cheguei um dia a pensar que poderia ter sido meu ex-marido,brigamos por conta do ocorrido,pois ele (ex-marido) dizia que não sabia como o meu filho (enteado dele)teria se machucado.Só com o passar de uns dias é que consegui entender que ele mesmo se auto-multilava,pois vi ele arranhando (tirando os pedaços ) da pele do próprio braço.E o que é pior até hoje ele faz isso,seja nos braços ou entre os dedos da mão,no rosto e não se queixa de dor. Aprendi a ser mais forte do que a dor dos meus olhos em ver tal fato. Ele toma medicação para síndrome do toque/ansiedade/depressão,mas não sei ,esta no momento fazendo tudo novamente.Sinto-me de mãos atadas e de coração partido.Quando converso com ele,parece que é pior,que fica incomodado,então resta-me passar pomadas e fazer curativos,orar a Deus e manter-me firme,pois não é fácil.

    ResponderExcluir
  29. Oi tenho 15 anos e normalmente escuto rumores de pessoas que algumas alunas estão se mutilando pensei em fazer uma palestra mas não sei se e uma boa idéia o que vocês acham?

    ResponderExcluir
  30. Nossa que tristeza essa pessoas que se mutilam

    ResponderExcluir
  31. Desde os meus 8 anos sempre tive a necessidade de me magoar de formas diferentes
    Não só fisicamente como psicologicamente
    Lembro-me de quando andava na primária e de me atirar da escada só para me magoar só para sentir dor
    Agora recorro a cortes na barriga porque sei que não morro
    Porque tenho estas necessidade. ?

    ResponderExcluir
  32. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  33. Tenho 21 anos e faz tempo que nao me corto , porém eu tenho muita vontade de me cortar mais nao pra machucar , pra ir embora de uma vez. Não vejo mais sentido em nada , nao tenho vontade de nada , ando fazendo apenas por obrigação . Não aguento mais decepções de pessoas que prometeram estar do meu lado porém nao passou de palavras , nao consigo achar mais nada como força pra estar vivo . Tenho minha familia , amo muito eles , sempre fizeram de tudo por mim . Nao fiz nada ate hoje por esse motivo , porém to no meu limite , tenho crises de choro todo dia . Não consigo entender tanta maldade e falsidade desse mundo , acho que não é pra eu ficar aqui mesmo ...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Querido,entendo perfeitamente o que você passa. Já me auto mutilei por diversas vezes, em decorrer de um inicio de depressão e por influência, por mais que seja dolorido admitir isso. Não sei pelo que você passa, mas saiba que a sua família te ama e aqui é sim o seu lugar! Você está na flor da juventude, tem um mundo ai fora com uma gama de possibilidades diferentes para te mostrar que aqui é o seu lugar. Falo isso pois, quando estava em crise, eu procurava coisas relacionadas à auto mutilação que me faziam ficar pior, me sentir pior. Mas hoje eu percebo que se eu tivesse escolhido coisas boas ao invés de me isolar, eu poderia ter saído dessa situação mais rápido. Procure conversar com a sua família acerca disso, com calma. O mundo não é de todo mau, o mundo é construído por nós e para nós! Fica bem!

      Excluir
    2. Meu querido, concordo plenamente com a Andressa!Veja:há esperança,sim, para o mundo e para você, tanto que você está buscando ajuda e nós estamos te ouvindo e há este espaço aqui, criado por uma pessoa generosa, que permite encontros como o nosso!
      Vê: basta que se estenda a mão e ela será segurada. "Peça e recebereis!". Você tem grande valor, um coração sensível, tesouros de afeto para dar e receber. Está tudo aí dentro. Todas as ferramentas de que você precisa. Apenas olhe para o lado certo: para cima! E para dentro! Depois, ouça apenas o que e wuem é bom, edificante, generoso, que constrói e te ajuda a se levantar e caminhar. E confie, você vai conseguir! Vá até sua família. Seus pais te amam e não merecem ser excluídos de sua vida, eles podem te ajudar. Ao Menos te abraçar sem pedir nada em troca, o que já é muito! Fica com Deus!

      Excluir
  34. Bom. Eu ja me cortei MT,ajudava até. Ai eu comecei a pedir feito loca para mim mesma parar de fazer aquilo, que eu ia acabar me matando e então não lembro como ,mas acordei e comecei a ter repulsa do ato de se cortar.

    Massa vezes tinha recaídase ram diferente como:odiar ser contrariada, raiva e mal humor , afastar as pessoas,brigar com minha mãe. Etc.
    Eu ja fazia isso antes,mas agr eu não consigo ter MT controle,odeio chorar,tenho crises constantes, fico impulsiva, é horrível e não sei explicar ,mas não me rreconheço.

    ResponderExcluir
  35. Sou uma pessoa gentil, o problema é quando me estresso. Saio do eixo, esmurrou a parede,entre outras coisas. Faço isso porque não quero machucar quem me aborrece, pois, sei q essa ou esse pode não sobreviver. Não consigo me controlar, é uma válvula de escape para mim... Eu me Machuco para não machucar quem amo e só me faz sofrer. Digo isso com grande pesar. Preciso de tão pouco só q esse pouco falta e muito. Dessa Sampaio

    ResponderExcluir
  36. Bom, eu tenho 22 anos e me automutilo desde os 12, sofro de transtorno bipolar e sempre que alguem fala comigo em tom zangado eu pego numa faca, e corto varias vezes a minha pele, minha irmã pensa que eu já não faço isso mas apenas porque começei a cortar mais nos antebraços e uso roupa comprida, quando me corto eu sinto alivio e deixo de pensar nos problemas mas á cerca de 2 semanas reparei que a minha sobrinha se bate nela própria e não sei como falar com ela para que ela pare com isso

    ResponderExcluir
  37. Hi hi. Bem, começei aos 12/13 anos só por curiosidade num momento ruim na escola. Cortes pequenos, superficiais. Peguei gosto pela coisa e passei a fazer cada vez mais cortes, sempre fazendo com que ninguém soubesse dos costes, no começo, em baixo de pulseiras, como o número de cortes aumentava e as pulseiras já não escondiam mais, passei a usar as costelas. Sendo assim, o máximo que me privo é de tiras as roupas na frente da minha mãe. Por não ter mais o medo de mostrar as cicatrizes (agora escondidas), a profundidade e quantidade tbm aumentaram e.e
    Uso os cortes como alívio, posso ficar algumas semanas mas não mais do que um ou dois mêses sem recorrer a isso. É como se isso distraísse do que tá acontecendo e desacelerasse o coração, que, em momentos de desespero, dispara. Desde os 12 até hoje, aos 18, me vejo como... "estranha no ninho". Deslocada das outras pessoas e distante da realidade. Me vejo "no meu próprio mundo", não vejo os cortes como algo errado, desde que não tragam consequências às outras pessoas ou problemas sérios (como desmaios ou rompimento de alguma veia), e não estou tentando parar. Agradeço a atenção que está dando nesse site :3

    ResponderExcluir
  38. Sou mãe de uma pré-adolescente, no meio do ano passado ela começou a se cortar, uma amiga dela me contou, é muito difícil lidar com isso, me sinto culpada, me sinto impotente, ela ficou um tempo sem se cortar, mas agora no início dessa semana começou novamente, eu estou tentando ajudá-la e buscando uma terapia, mas é difícil para mim, estou em pãnico de deixá-la sozinha e acontecer algo mais grave que eu não posso evitar, não tenho apoio e preciso trabalhar acabei de assumir um concurso e meu horário é ao contrário do dela, o que vou fazer? Ela se corta a noite, as vezes espera eu dormir, não tenho sossego mais e ela não sabe em explicar o por que, existe alguma estratégia para que eu possa ajudá-la e não fazer isso enquanto acho um terapeuta?

    ResponderExcluir
  39. Tenho 29 anos e desde os 13 tenho problemas com depressão...
    Comecei a me cortar nesta idade... Sofri bullyng, um colega de sala de julgou fraca... Sentia e até hoje sinto vergonha...
    Depois dos 13, passou... Eu não me cortava mais.. Até, me envolver em um relacionamento abusivo com um cara um pouco mais velho que eu... No começo é tudo muito lindo, feliz.. Mas, com o passar do tempo as intolerâncias começam com isso vem os problemas... Os cortes.. Mais uma vez esse problema veio me assombrar... Me cortava com facas, tesouras, me queimava com isqueiros, ou com o que mais pudesse me machucar... pois, dores físicas causadas POR MIM MESMA, doíam menos que as dores internas que eu sentia... Eu apanhava dele também e as dores causadas por ele só me deixavam mais triste e com mais vergonha... Depois de um tempo conheci um outro homem.. O começo foi lindo, nada o incomodava... Então, passou o tempo...
    Acredito que eu lá no fundo deva ter algum potencial... Sou formada, acabei a minha primeira pós graduação e já iniciei a minha segunda pós graduação.. Mas, mesmo assim, ainda me acho uma inútil... Estou afastada do trabalho e ele faz questão de me lembrar a todo instante que eu não estou trabalhando, que não sou parceira, que eu o abandonei, que eu prefiro ficar com a minha mãe, que eu abandonei o relacionamento, que eu não sou uma virgula do que eu era antes... Entende-se que no começo eu fazia literalmente tudo o que ele pedia... Praticamente virei as costas para a minha família e vivia em função dele.. Depois de 4 anos, essa situação começou a me incomodar.. Pois eu sentia falta de ficar junto com a minha mãe... Ele claramente não gostou...
    Resumindo.. Hoje estou perdida... Tentando fingir para a minha família que eu estou bem.. Tento pedir ajuda para ele, sem sucesso.. Ele me acha maluca... Disse pra eu sumir da vida dele... Ele acha muita babaquice eu querer me machucar....
    Me desespero por deixar minha vida ter tomado esse rumo...
    Que Deus me dê forças para eu seguir em frente.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Quando estamos sem rumo devemos responder a pergunta: "o que posso fazer de bom agora?" Dê pequenos passos. Sua cabeça vai te boicotar, afinal ela também aprendeu a te desqualificar. Não ligue para seus pensamentos negativos. Mantenha estes pequenos passos por um longo tempo. Isto vai te ajudar a dar os outros passos positivos que sua vida necessita.

      Excluir

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...